O OnLive, serviço de jogos por streaming, amadureceu bem rápido em apenas cinco meses. Eu gostei do lançamento original ao público, quando ele estava só em computadores, mas agora ele chegou para um console que você pluga na sua TV. Eu curti.

Para recapitular rapidamente, o OnLive tem um monte de servidores que fazem toda a renderização de jogos remotamente, então enviam o vídeo resultante para seu console para ser exibido na sua TV. Todos os comandos via botão são enviados para a nuvem e processados, como se você estivesse de fato sentado na frente de um console normal. Comprar jogos no OnLive é mais barato que comprá-los nas lojas, mas você também pode experimentar jogos antes de comprá-los. E este MicroConsole custa só US$99.

Eu só joguei no MicroConsole por pouco tempo, mas pelo que eu vi, ele é a experiência no PC/Mac levada para sua sala de estar. Você pode usar o controle sem fio proprietário de baixa latência (menor que USB, segundo eles), mas o console tem suporte a periféricos USB, como teclado, mouse, joystick e fone de ouvido. Eles dizem que os drivers também são instalados nos servidores. Quanto aos requerimentos mínimos de internet, você precisa de 5Mbps para uma TV de 40 polegadas ou mais, 4Mbps para TVs de 30" a 40", e 3Mbps para TVs com 30" ou menos.

Ele é mesmo muito bom. A combinação de um controle de baixa latência, com as melhoras que eles fizeram no serviço OnLive – assim como minha conexão à internet relativamente rápida – tornam toda a experiência semelhante à de consoles modernos. Você com certeza nota que a imagem no todo é menos definida, e as arestas são mais aparentes que no Xbox 360, e às vezes há alguns engasgos, mas a experiência em geral é de boa qualidade, especialmente para uma caixinha deste tamanho.

O OnLive vai dar mais um grande passo com o lançamento nos EUA, em 2 de dezembro, do MicroConsole, permitindo que as pessoas tenham na sala de estar a experiência de jogar. O próximo passo é fazer os desenvolvedores de jogos apoiarem mais a plataforma do que hoje, o que a OnLive me garante que está acontecendo.

Por que o OnLive pode ser o futuro dos jogos

O MicroConsole é um grande passo, e que coloca a base para muito do que a OnLive está planejando para o ano que vem. Como ele tem suporte a 1080p a 60fps, não há muita necessidade de atualizar o hardware, a menos que haja uma grande mudança nas especificações das TVs. Eles já têm suporte a 3D também, só não está ativado, assim como suporte a headset Bluetooth, quatro controles e hub USB. Então o hardware é bom o bastante para peagr bits e jogá-los na tela da sua TV pelos próximos anos.

Por que uma taxa mensal única para jogos faz sentido 

A OnLive planeja lançar pacotes com taxa mensal única para jogos. Você paga um valor fixo por mês, e então tem acesso ilimitado a quantos jogos você quiser. Uma taxa mais em conta permitiria jogar títulos mais velhos (de alguns meses a mais de um ano de lançado, dependendo da popularidade) assim como jogos independentes. Uma taxa mais cara daria acesso ilimitado a jogos lançados ao mesmo tempo que em consoles.

O CEO da OnLive, Steve Perlman, diz que quem lança jogos entende que há um valor por família que seria o valor máximo que um gamer gastaria em jogos. Este valor pode cair nos meses em que não há muitos novos lançamentos, mas há um limite que o consumidor coloca nele mesmo para controlar gastos. Então colocar um preço de consumação livre nesse momento faz bastante sentido, tanto para a empresa de jogos, como para o consumidor.

Espere até ele tirar vantagem da nuvem

Igualar-se em termos de desempenho e número de jogos ao Xbox 360 e PlayStation 3 é só a primeira fase para o OnLive. Eles podem ganhar mesmo é no fato de que todos esses jogos são renderizados na nuvem, com hardware deste ano, enquanto os consoles usam hardware de 2005. Isto significa que, se os desenvolvedores estiverem interessados, eles podem criar jogos com visuais incríveis e imersão completa que não podem ser renderizados em consoles – ou mesmo em PCs para jogos – e fazer isso em uma série de servidores que são ligados à sua tela. Isto é incrível.

Steve disse pra mim que isso é algo que os desenvolvedores querem, mas eles estão esperando até que a plataforma OnLive tenha usuários o suficiente para tornar rentável o desenvolvimento desses ultratítulos. Não que o OnLive esteja concorrendo diretamente com o Xbox 360 ou o PS3, é que ele é capaz de fazer algo drasticamente diferente e insanamente melhor, se houver suporte de software para ele.

Ele poderia ser um serviço completo de streaming?

Eu também perguntei ao Steve, já que a caixa é capaz de fazer streaming de jogos numa resolução e taxa de quadros tão altas, se eles poderiam teoricamente colocar Netflix, Hulu e outros serviços de streaming de vídeo (TV e filmes) para o OnLive se tornar um serviço completo de streaming. Ele disse que isso não é algo que eles estão fazendo agora, mas é uma possibilidade.

E como a caixa é tão pequena, é o equipamento ideal para levar nas férias, ou até mesmo em viagens de negócios. Imagine levar sua coleção de jogos com você, com a possibilidade de poder comprar mais.

A Microsoft está apostando bastante na tecnologia de streaming e downloads digitais. A OnLive é uma plataforma que prova que você pode fazer praticamente tudo no servidor e ainda ser competitivo no mundo dos jogos. Se a Microsoft for esperta, eles vão prestar atenção no que a OnLive está fazendo e quem sabe comprá-los para o próximo Xbox. [OnLive]