A Apple conseguiu uma enorme vitória para sua empreitada de um bilhão de dólares de criação de conteúdo audiovisual original, assinando um acordo de vários anos com a apresentadora e magnata da mídia Oprah Winfrey, que irá produzir para a companhia conteúdo de streaming ainda não especificado. De acordo com o Wall Street Journal, a contratação de Oprah deverá entrar no lançamento há muito tempo especulado de um “serviço de vídeo direto para o consumidor”, que “pessoas familiarizadas com os planos da companhia dizem… ser esperado para o ano que vem”.

• Barack e Michelle Obama fecham parceria para criar conteúdo para a Netflix
• Apple vai impedir que aplicativos tenham acesso à sua agenda de contatos

Segundo a Reuters, ainda se sabe pouco sobre o que Oprah vai produzir para a Apple, embora seu acordo com a Discovery Inc. para lançar sua própria emissora de TV a cabo, a OWN, não deva evitar que ela apareça na tela como parte do projeto:

A Apple não deu detalhes sobre o tipo de programação que Winfrey criaria, o valor do acordo ou quando ele deve ser lançado. Winfrey não comentou imediatamente.

Winfrey, 64 anos, uma influente produtora de cinema e TV que também publica uma revista, deve aparecer na tela, segundo afirmou uma fonte familiarizada com o acordo… Sob o acordo com Winfrey, ela permanecerá como presidente do canal de TV a cabo OWN, que ela lançou em 2011, em parceria com a Discovery Inc. Winfrey renovou seu contrato com a OWN em dezembro, até 2025, afirmaram a OWN e a Apple.

Em seu contrato com a OWN, Winfrey pode aparecer nas câmeras em outras plataformas de forma limitada.

Em um comunicado enviado à Reuters, a Apple escreveu: “Juntos, Winfrey e Apple vão criar programas originais que abracem sua capacidade incomparável de se conectar com plateias ao redor do mundo”.

A reportagem do Wall Street Journal sobre um serviço de assinatura de TV da Apple vem depois de um artigo recente na Bloomberg, que dizia que a empresa planejava integrar mais firmemente as ofertas dos concorrentes em sua loja da Apple TV:

Pela primeira vez, a Apple planeja começar a vender assinaturas para certos serviços de vídeo diretamente por meio de seu app de TV, em vez de pedir que os usuários se inscrevam neles por meio de apps individualmente baixados da App Store, segundo pessoas familiarizadas com o assunto.

A Apple vem competindo com concorrentes como a Netflix e a Amazon para garantir os direitos de novos conteúdos em streaming, e a CNN Money afirma que ela já conseguiu “grandes nomes como Reese Witherspoon, Steven Spielberg, Octavia Spencer e Kevin Durant”. Executivos da empresa admitiram que a TV é nova para eles e, principalmente, é uma maneira de manter os usuários em plataformas da Apple, com o vice-presidente sênior Eddy Cue afirmando à CNN Money: “Então, que habilidades a Apple traz para isso? E o ponto de vista é: pouquíssimas. Há outras coisas que trazemos. Sabemos como criar aplicativos, sabemos fazer distribuição, sabemos como comercializar. Mas nós não sabemos como criar programas”.

A Netflix, no entanto, representa uma forte concorrência — enquanto Oprah foi alvo de especulação presidencial, o de fato ex-presidente Barack Obama e a ex-primeira-dama Michelle Obama fecharam recentemente um acordo para produzir “séries roteirizadas, séries não roteirizadas, séries documentais, documentários e especiais” para a Netflix, de acordo com o New York Times. Embora o esforço de US$ 1 bilhão da Apple seja muito dinheiro, a Netflix e a Amazon estão gastando muito mais: US$ 6,3 bilhões e US$ 4,5 bilhões, respectivamente, em 2017.

[Reuters/Wall Street Journal]

Imagem do topo: Getty