Os 6 alimentos que melhor se adaptam às mudanças climáticas: mandioca está lista

O produto típico do Brasil é um candidato devido à sua tolerância a temperaturas de até 40 ºC, o que pode ser benéfico dentro de um cenário de aquecimento global

Alimentos mudanças climáticas

Imagem: feraugustodesign/Pixabay/Reprodução

À medida que as mudanças climáticas avançam, surge uma nova preocupação: quais serão os alimentos do futuro? Cerca de metade das calorias ingeridas pelos humanos vêm de vegetais como trigo, milho e arroz, mas essas culturas podem não sobreviver ao aumento das temperaturas e eventos climáticos extremos. 

Pensando nisso, a revista Science News procurou o ecologista Samuel Pironon, do Jardim Botânico Real de Kew, no Reino Unido, para elencar culturas que podem ser possíveis respostas para o problema. Veja abaixo quais são elas.

Milhete

No futuro, o chamado milhete, grão típico de partes da Ásia e África, poderá ser encontrado em prateleiras do mundo todo. O produto, comparado ao trigo, milho e arroz, precisa de pouca água e prospera em ambientes quentes e secos. Uma baita pedida para um planeta em aquecimento.

Feijão-bambara

O feijão-bambara é uma leguminosa nativa da África subsaariana. Ele é rico em proteínas e, como o esperado, é tolerante à seca. Como se não bastasse, as bactérias da planta são capazes de converter o nitrogênio atmosférico em amônia, o que permite que o feijão cresça bem em um solo pobre em nutrientes e sem fertilizantes químicos. 

Mexilhões

As fazendas de bivalves, como mexilhões, ostras, mariscos e vieiras, não necessitam de irrigação e fertilização. Consequentemente, é fácil e barato para os produtores aumentar a escala do produto, permitindo que mais frutos do mar cheguem à mesa da população. Além disso, os mexilhões são super resistentes aos eventos extremos e também nutritivos, sendo uma bela opção para o futuro.

Algas

As algas são positivas por dois motivos. Primeiro, elas absorvem dióxido de carbono durante a fotossíntese, o que ajuda a diminuir a acidez do ambiente marinho. Sendo assim, o cultivo delas ao lado de bivalves, que se beneficiam da água menos ácida, acaba sendo benéfico. Além disso, as algas são ricas em vitaminas, minerais, antioxidantes e de quebra ainda sequestram carbono. 

Banana falsa

Já falamos aqui no Gizmodo Brasil sobre a banana falsa. Apesar do nome, seu fruto não é comestível, mas sim seus caules e raízes, que costumam ser fermentados para a fabricação de mingau e pão na Etiópia. O produto pode ser colhido em qualquer época do ano, são resistentes à seca e tolerantes a doenças. Por causa disso, recebe também o nome de “árvore contra a fome”.

Mandioca

Seja como macaxeira, aipim ou mandioca, esse é o produto da lista mais conhecido pelos brasileiros. Ele é cultivado em mais de 100 países e pode suportar temperaturas de até 40 ºC. Além disso, a produtividade da mandioca rende mais em ambientes com níveis altos de CO2, já que ela parece se adaptar ao clima e minimizar os efeitos da seca.

Sair da versão mobile