O governo da Malásia divulgou hoje as últimas transmissões entre o voo 370 da Malaysia Airlines e um satélite Inmarsat com o qual o avião estava se comunicando antes de desaparecer. Agora, qualquer um pode tentar investigar o que aconteceu com a aeronave.

Com base nesses dados, a Agência de Segurança dos Transportes australiana emitiu um relatório explicando que provavelmente o avião caiu depois de ficar sem combustível. Essa suposição é baseada em cálculos de quanto tempo o avião levou para desaparecer e na análise da queima de combustível para diferentes rotas de voo. Acredita-se que o avião caiu no sul do Oceano Índico, embora todas as buscas feitas no local tenham se mostrado infrutíferas. As conclusões chegam junto com a informação de que o navio Ocean Shield, da Marinha Australiana, deixou de fazer buscas na quarta-feira passada — uma semana antes das autoridades abandonarem as buscas, que passarão a ser feitas por empresas privadas.

Os dados foram tornados públicos pelo Departamento de Aviação Civi da Malásia depois de apelos das famílias dos passageiros desaparecidos que solicitaram maior transparência na investigação. Se esses dados serão realmente úteis é algo que ainda não sabemos, mas tornar os dados públicos é algo bom, de qualquer modo.

SAIBA MAIS: Teoria de piloto canadense diz que avião que sumiu na Malásia pode ter se incendiado

[Wall Street Journal, Departamento de Aviação Civil da Malásia via Verge]