“A onipresença dos computadores e da internet às vezes nos faz esquecer como essas invenções são relativamente novas. Se as gerações atuais já nascem mexendo em tablets e smartphones, é estranho pensar que há poucas décadas a computação pertencia ao domínio de cientistas, militares e uns poucos empreendedores de ponta. Mas quem inventou o computador? Quem teve a ideia de criar a internet? Foi perseguindo essa pista que Walter Isaacson, autor das estrondosas biografias de Steve Jobs e Albert Einstein, construiu esta empolgante narrativa, que retrata inovadores bolando máquinas em suas garagens minúsculas, pensadores excêntricos às voltas com grandes questões existenciais, batalhas épicas entre empresas e uma grande dose de bits, chips e fios de cobre.”

Os Inovadores – Uma biografia da Revolução Digital

Por Walter Isaacson, autor da biografia de Steve Jobs
568 páginas – Companhia das Letras

Você sabia que Ada Lovelace era a única filha legítima de Lorde Byron, um dos poetas românticos mais malucos da história? A relação incestuosa do poeta com uma meio-irmã foi só um dos pontos altos da biografia dele (ele tinha um zoológico particular; levou um urso para uma aula na faculdade; e usou todo o seu dinheiro para bancar um exército de mercenários quando a Grécia estava em guerra contra os turcos — você sabe, poetas tendem a ter uma queda por tudo que é grego). Lady Byron, a mãe de Ada, não demorou a perceber que sua escolha de marido não havia sido das mais acertadas e tratou de afastar Ada do pai. No entanto, a menina apresentava o que na época se chamava de “temperamento poético”, e Lady Byron acreditava piamente que o melhor antídoto para os “males da poesia” fosse encher a menina de lições de matemática, que a levariam para os caminhos da lógica e da razão e para longe das ideias malucas do pai.

O método de Lady Byron deu certo, e Ada se tornou umas das poucas mulheres matemáticas de sua época, tendo criado o primeiro algoritmo a ser processado por uma máquina — e, no meio do caminho, ela ajudou a implementar os conceitos de sub-rotinas e de loop recursivo. A parte da história que você provavelmente não conhece é outra: os talentos de Ada como matemática não eram impressionantes a ponto dela poder ser considerada um gênio da área, mas ela compensava isso sendo uma estudiosa ávida e obcecada por detalhes. Essas características, somadas a uma visão da matemática cheia de ares poéticos — Ada acreditava que a matemática era uma espécie de poesia cósmica capaz de explicar o mundo em que vivemos — e um espírito um tanto quanto megalomaníaco, fizeram de Ada uma peça importante na história da tecnologia.

No entanto, a história não termina com final feliz: o algoritmo de Ada foi criado para funcionar na máquina analítica de Charles Babbage. Mas o governo se mostrou relutante em financiar o desenvolvimento da máquina e Ada, bem-nascida e rica, propôs que os dois fizessem uma parceria cuja condição era que Ada tivesse poder de veto em qualquer passo dos negócios que viriam a existir quando a máquina analítica estivesse pronta. Depois de infinitas discussões, trocas de ofensas e reconciliações cheias de elogios por carta, a história acaba com Babbage sem fundos para o desenvolvimento da máquina e Ada desistindo de escrever artigos científicos, se tornando uma viciada em jogo e em opiáceos e morrendo de câncer no útero aos 36 anos. No entanto, os estudos feitos pelos dois sobreviveriam às suas desgraças pessoais e abririam caminhos para os estudiosos e inovadores que viriam mais tarde.


Os Inovadores – Uma biografia da Revolução Digital, escrita por Walter Isaacson, baseia-se num trabalho que começou mais de dez anos atrás. Depois de escrever a biografia de Benjamin Franklin, o escritor passou por uma fase em que queria deixar de se concentrar em biografias, que analisam os feitos de um só indivíduo, para se concentrar em projetos que analisassem o que determinados grupos de pessoas fizeram para que certos avanços fossem possíveis. Os planos de Isaacson, que é diretor do Aspen Institute, já foi presidente da CNN e editor da Time, acabaram mudando ao longo do caminho: ele começou suas pesquisas pensando em escrever sobre como foi criada a internet, mas Bill Gates em pessoa o convenceu de que se ele fosse falar dos primórdios da internet, seria preciso contar também a história do computador pessoal. Em 2009, Isaacson deixou o projeto de lado para se concentrar na escrita da biografia de Steve Jobs. Quando voltou a se concentrar em suas pesquisas anteriores, ele decidiu que não seria um livro que se concentrasse na história da internet e dos computadores: o livro seria a história da revolução digital que vivemos nos séculos XX e XXI, usando como fio narrativo uma série de pequenas biografias de inovadores digitais e das coisas que eles criaram.

Para tanto, Isaacson divide os capítulos dos livros entre as grandes invenções que mudaram a nossa vida: a história do algoritmo de Ada, do computador, da programação, do transístor, do microchip, dos videogames, da internet, do computador pessoal, do software, do conceito de on-line, da web e, como fecho, ele fala novamente sobre a Condessa de Lovelace.

>>> [Resenhas] Os Anjos Bons da nossa Natureza – Steven Pinker acredita que a violência está diminuindo

Se você se interessa por tecnologia e inovação, chamar esse livro de prato cheio não é suficiente: ele é uma leitura obrigatória para que alguém entenda o contexto tecnológico do mundo em que vivemos, de onde viemos e para onde estamos indo. E a editora responsável pela versão brasileira do livro cedeu cinco exemplares ao Gizmodo para que pudéssemos fazer um concurso cultural. Para participar, responda nos comentários a seguinte pergunta: para você, o próximo grande inovador que deixará seu nome gravado na história da tecnologia será o responsável por qual invenção? Algo que leve água potável para os lugares que mais precisam? Alguém que consiga acabar com o trânsito nas grandes cidades? Para você, qual será a próxima grande inovação que mudará o mundo? Escreva sua resposta nos comentários até o meio-dia de sexta-feira. As cinco melhores respostas receberão um exemplar da história da revolução digital escrita por Isaacson.