ComiXology: Este app existe já há bastante tempo, e ele está cada vez melhor, adicionando novas editoras e séries. A prestigiosa Vertigo está presente na lojinha com um título basicamente essencial para nós brasileiros: Daytripper, série de 10 volumes dos brasileiros Gabriel Bá e Fábio Moon que ganhou o Will Eisner (o prêmio mais importante das HQs) no último sábado. É meio esquisito ver brasileiros com nomes brasileiros falando inglês em cidades como São Paulo, Salvador ou o interior de Minas. Mas, se você não quer esperar a tradução (prometida pela Panini), e se sente confortável, vale cada centavo – leia logos as 3 primeiras de uma vez e depois me agradeça. De nada. Grátis. Cada HQ: US$ 1 a US$ 2.


http://www.youtube.com/watch?v=pCYd7ItVznw

Sid Meier’s Pirates! for iPad: A outra obra genial do cara que criou Civilization, Pirates! já foi lançado em todas as décadas desde os anos 80 em todas as plataformas possíveis e encontra no iPad a sua melhor edição até hoje. Você começa como um pirata no Caribe no século 17 e pode ficar afundando barcos, caçando tesouros, bombardeando cidades, lucrando com a venda de mercadorias e servindo a algum país. No início controlar o seu barquinho pelo mar pode parecer meio estranho com o dedo, mas com um pouco de prática a coisa parece natural. Os mini-games que brilham: das lutas de espada (que lembram o esquema pedra-papel-tesoura de Infinity Blade) às danças com as filhas dos governadores, há bastante espaço para você testar os seus reflexos. US$ 7 na iTunes US.

 

O Jornaleiro: Todas as grandes revistas brasileiras já têm o seu app para iPad, e enquanto não aparece o iOS5 com a sua “banca” para agrupá-las de maneira bacana e oferecer mais títulos, há este novo aplicativo brasileiro chamado O Jornaleiro. Ele, por sinal, não vende jornal, mas revistas menores, de nicho. Há títulos nacionais sobre temas jurídicos, esportes náuticos, golfe e mais um bocado de coisas, com a vantagem de ter várias edições gratuitas para você ver se simpatiza com os assuntos. A navegação é bem simples, sem aqueles recursos multimídia das revistas maiores, mas para ler e economizar uma ida à banca, mais que dá para o gasto. Grátis.

 

Björk – Biophilia: Este “álbum-app” é provavelmetne a maneira mais interessante que um músico já inventou para interagir com o seu público eletronicamente. Cada faixa do novo disco da islandesa é um app dentro do app (o maior, gratuito). Navegando por uma galáxia, é possível ouvir pedaços meio fantasmagóricos de vozes, xilofones e violoncelos. Tocando em um dos sóis, chega-se à música inteira propriamente dita. A primeira lançada pode ser “experimentada” de diversas formas: em uma espécie de jogo-instalação, acompanhando a partitura ou em uma animação. Para fãs, prato cheio. Para quem acha a moça esquisita, o app servirá para reforçar a ideia. Grátis. Cada música: US$ 2.

 

Comic Book: Usá-lo é uma maneira bem, bem fácil de se fazer uma espécie de história em quadrinhos usando fotos existentes ou tiradas no próprio iPad 2 (para isso a câmera funciona bem!). O maior espaço do tablet permite visualizar mais quadros e colocar todos aqueles textos e balões de POW! bem posicionados, mandando dali mesmo a sua HQ para todas as redes sociais. Ótima forma de zoar os amigos com estilo. US$ 2.

 


DocAs: Há uma versão paga e outra gratuita deste app bem útil para baixar de diversas fontes alguns documentos e interagir com eles. Baixou aquela ideia de layout em PDF e quer rabiscar rapidamente o que fazer em uma reunião inserindo textos, caixinhas, marcadores e até gravações de voz? O DocAs te ajuda. Abrir PPTs, DOCs e todos os formatos comuns de Office? Também. Se sua impressora se der bem com o Airprint, ainda dá para imprimir diretamente do iPad, o que é uma mão na roda. Grátis (versão lite) ou US$ 3 (versão completa).

 

Tom Clancy’s Rainbow Six: Shadow Vanguard HD: Depois de aparecer em 85 mil jogos para videogame, o grupo de CTs fictícios mais famosos do mundo dá as caras no iPad neste surpreendentemente bom jogo da Gameloft. Eu sempre sou meio reticente a jogos que tentam imitar completamente o joystick, mas aqui a coisa funciona, já que há um aspecto tático importante. Mesmo que você não se dê bem com mirar com controles analógicos virtuais e não consiga aquele headshot, basta clicar nos locais certos na tela (dica: atrás da porta), posicionar seus companheiros, dar as ordens corretas e ver os terroristas caindo, um a um – o AI amigo é bom. A boa legendagem em PT-BR é outro bônus. US$ 7 na iTunes US.

 

How Stuff Works: Como sempre, é bem mais amigável navegar por um app bem feito do que por um site. No do popular How Stuff Works, não há apenas artigos (em inglês), vídeos, listas de top10 e podcasts, apresentados de forma a sempre surpreender você com um assunto novo. Há também uma bizarra seleção de jogos de perguntas e respostas. Como quando você erra a resposta aparece uma curiosidade interessante, vale a brincadeira, mesmo quando o assunto é “Memória RAM” (sim, há um quiz específico sobre). Grátis.

 

* Saiba como baixar jogos não disponíveis na App Store brasileira com este nosso tutorial.