O Google acabou de mostrar um novo produto: um laptop bem caro com uma tela espetacular, componentes bons e o design de um MacBook Pro que roda o Chrome OS, que é voltado para web. Mas o Chromebook Pixel tem problemas.

Não tivemos muito tempo para brincar com ele, mas algumas coisas não parecem muito boas no papel. O Chromebook Pixel é uma dessas coisas. Eis os motivos dele ser uma ideia ruim que pode incomodar quem decidir comprar um:

O Chromebook Pixel é caro

Esta coisa custa US$ 1.300 (ou US$ 1.450 com LTE e um plano de dados), o que é bastante dinheiro. É o suficiente para comprar um excelente sistema com Windows 8 ou um bom MacBook Air. É apenas US$ 50 menos do que custa um MacBook Pro com uma tela retina parecida.

O conceito do Chrome OS é que ele é um computador leve. Ele faz o básico, e apenas o básico. O Chrome OS dá acesso à internet, edição de textos pelo Google Docs, vídeos via YouTube e todos os outros serviços do Google. Você pode instalar extensões do Chrome para colocar “apps”. Mas você não terá softwares completos, já que o Chrome OS não é compatível com nada além dele mesmo.

E isso até agora era OK já que os Chromebooks em geral eram bem baratos: poucas centenas de dólares por uma máquina que faz o essencial. Mas US$ 1.300 pelos mesmos essenciais parecem uma ideia bem ruim.

A tela não é o ideal

O Google colocou no Pixel uma tela com proporção 3:2, alegando que a natureza da web é vertical. Talvez seja verdade – mas você ainda tem um computador com uma tela que é quase um quadrado. A web vai para cima e para baixo, acredito, mas seus olhos vão para os lados. Você consegue assistir um vídeo em uma tela 3:2? Você consegue imaginar

Mais um motivo para a tela ser ruim

Muitos pixels na tela sempre é bom – significa que a imagem vai ser bastante viva. As coisas vão ficar bonitas. Isso é bom. O Chromebook Pixel tem uma tela assim. Mas isso também é um desperdício, e não vai fazer nada além de consumir bateria. Tudo o que não for otimizado para a super resolução vai ficar feio. Isso também faz a tela do MacBook Pro Retina ser ruim.

Não espere aproveitar nada de mais em vídeos com todos estes pixels por polegada, já que o Pixel usa a mesma Intel Graphics 400 que prejudica o MacBook Pro Retina. Mas convenientemente, isso não vai rodar nada além de jogos como Angry Birds, então quem se importa.

Armazenamento

O Pixel tem apenas 32GB de armazenamento interno, o que já foi o suficiente em algum momento no começo da década passada. Você terá um terabyte de graça de armazenamento na nuvem, mas só poderá usar quando estiver conectado à web, e depois de três anos vai ter que pagar US$ 50 por mês. Isso significa US$ 600 por ano pelo privilégio de armazenar as suas coisas

LTE

Colocar conexão LTE em um laptop é uma ótima ideia, mas o plano que acompanha o Pixel oferece apenas 100mb gratuitamente por mês, e só é válido para os dois primeiros anos. É o suficiente para ler texto, mas se você tentar qualquer outra coisa que torna a internet útil no século XXI, você vai acabar com isso rapidamente. A outra opção é assinar um plano de dados, mas isso significa mais gastos mensais para algo que já é caro.

Existem outras opções na mesma faixa de preço que são melhores

Você pode conseguir com o mesmo preço um computador que roda Photoshop, jogos, vídeos em telas melhores, softwares de edição de foto, música. Você sabe, as coisas que você quer ter no computador. Macs e PCs com Windows bem melhores são encontrados nesta faixa de preço.

O Chromebook é uma ideia excelente: um laptop que oferece exatamente o que o seu dinheiro vale. Computação barata. Simples. São boas ideias. Mas o Pixel é contraditório. E caro demais.