Entre ligado e pronto para qualquer coisa e totalmente desligado, todo computador moderno possui estados de energia graduais. Eles conciliam consumo de energia com recursos disponíveis e, no Ultrabook, se alternam em altíssima velocidade. É a mítica promessa do boot praticamente instantâneo finalmente concretizada.

Existem seis estados de energia do sistema nos computadores, conhecidos pela sigla SX – em que “X” é um número de zero a cinco.



Em S0, o sistema está completamente ligado e operante; em S5, ele se encontra desligado por completo. Entre esses estão os estados graduais, que desligam partes do sistema para economizar energia e proporcionar um retorno rápido quando você precisar do equipamento.

O que diferencia os estados intermediários são as seguintes características:

* S1: consome menos energia que o S0, mantém todos os contextos de hardware e processador;

* S2: o processador perde energia e o cache e contexto dele são perdidos;

* S3: perde tudo, com exceção da memória;

* S4: estado de hibernação. O sistema fica praticamente desligado, com exceção de um tiquinho de energia. Os dados são guardados no disco.

O grande diferencial do Ultrabook, graças à configuração bacana que ele tem, é o poder de alternar muito rapidamente entre esses estados. Assim, ele volta da hibernação em segundos, permitindo que aquela olhadinha no email antes de sair de casa seja gasta com… bem, com o email, não esperando o computador voltar à vida.

Parece bobagem, meros segundos, para que tanta pressa? Mas, de verdade? Na hora em que você precisa consultar alguma informação rapidamente no Ultrabook, tudo isso se justifica. E na soma de um segundo aqui, outro ali, horas se passam em alguns poucos meses. A gente ouve desde sempre a promessa de computadores ligando instantaneamente. Aqui está ela entregue, enfim.