Ver fotos de galinha, ainda que pelo Twitter, é algo um tanto normal. Mas e se a gente contasse que os registros foram feitos pelas próprias penosas? Que acha da ideia? É o que esta página da rede social (@chickens) propõe.

Mas como isso funciona? A ideia é viabilizadas graças à seguinte parafernália: uma câmera Canon 7D, um flash fotográfico, um Raspberry Pi — um mini-computador que se conecta a um monitor ou televisão — e um gatilho de movimento.

Sempre que uma galinha passa em frente do sensor de movimento, o Pi tira uma foto na câmera, que por sua vez dispara o flash. Depois que a foto é tirada, o Pi baixa a foto do cartão SD da câmera e a carrega no site.

As galinhas estão utilizando o sensor de movimento para acionar o método de captura no Pi, que invoca uma série de eventos que resultam na foto sendo tirada, carregada e compartilhada. Esses comandos são iguais ao um ser humano executando o ato de tirar, baixar e compartilhar uma foto.

As fotos são postadas diariamente (ultimamente, com intervalo de uma hora entre si, no mínimo). Elas têm também informações de data e hora e condições climáticas — como temperatura, velocidade e direção do vento, se há chuva ou não e o nível de umidade do ar.

As aves do projeto são galinhas caipiras que vivem livremente. São ao todo catorze galinhas e dois galos, de espécies diversas, que são naturais de Nova York.

Mas nem só aves são flagradas pelas lentes do projeto…

A conta no Twitter possui 414 seguidores e fez pouco mais de 100 posts em seus poucos dias de vida, mas deve decolar assim que os usuários da rede social descobrirem a genialidade por trás da ideia. Agora que você já sabe da existência dessa conta, não perca mais seus tempo. Vá distribuir suas curtidas, elas merecem.