Aos poucos, as TVs de plasma perderam espaço para os painéis LCD/LED, apesar da boa qualidade de imagem. Por quê? Sua reputação ficou manchada por consumir mais energia. e por ser suscetível a criar marcas permanentes na tela. Novas gerações de plasma abordaram esses problemas, e ainda oferecem cores pretas mais profundas, ângulos de visão maiores e menos motion blur que o LCD.

No entanto, parece que isso não é o bastante para manter o plasma no mercado: de acordo com a Reuters, a Panasonic vai interromper a produção de suas fantásticas TVs de plasma em março de 2014.

Não é uma surpresa tão grande: este ano, circulavam rumores de que a Panasonic iria reduzir a fabricação de TVs e abandonar o plasma. Sua divisão de televisores deu prejuízo por cinco trimestres consecutivos.

Centenas de funcionários devem ser redistribuídos para outras áreas da Panasonic. A empresa deve registrar uma perda de US$ 400 milhões relativa à sua única fábrica restante de plasma.

Em janeiro, a Panasonic apresentou novas TVs de plasma com qualidade muito próxima às ótimas TVs OLED. Ela foi a única empresa a expandir sua linha de plasma, na verdade. Mas, apesar de ser campeã nos reviews e desejada por videófilos, a tecnologia está sendo aos poucos abandonada.

Segundo a DisplaySearch, TVs de plasma correspondem a apenas 6% do mercado global; a tecnologia LCD domina com 87%. [Reuters]