Muitos estão dizendo que, segundo o Vaticano, você passará menos tempo no purgatório se seguir o Papa no Twitter. Parece simples! Mas não é.

A confusão aconteceu depois de uma grande simplificação do que o arcebispo Claudio Maria Celli disse no Vaticano sobre as “indulgências”: atitudes na Terra para passar menos tempo no purgatório.

Celli disse que quem participar da Jornada Mundial da Juventude, que começa em 22 de julho no Rio de Janeiro, receberá uma indulgência plena – ou seja, perdão total dos pecados passados. Mas e quem não puder ir? O cardeal explica:

Os fiéis que estão legitimamente impedidos [de participar do evento] podem obter a indulgência plena se (…) seguirem os mesmos rituais e exercícios de devoção (…) pelos novos meios de comunicação social.

Isso significa acompanhar o evento através da web e redes sociais. Então basta seguir o papa no Twitter? Nada disso:

Lembre-se: você não consegue a indulgência do mesmo jeito que o cafezinho de uma máquina automática… não será o bastante assistir à missa no Rio on-line, seguir o Papa via iPad ou visitar Pope2You.net.

O que é preciso, então? Antes de tudo, confessar seus pecados na Igreja, ou eles não serão perdoados. Além disso, ser “penitente e constrito”, ou seja, arrepender-se dos pecados. E, também, acompanhar a JMJ ao vivo pela internet – não adianta deixar para ler os tweets depois, por exemplo.

As indulgências ganharam má reputação antes da Contrarreforma no séc. XVI: basicamente, elas eram vendidas pela Igreja Católica por muito dinheiro. Isso acabou após o Concílio de Trento, como resposta à reforma protestante. Mas a Igreja não está voltando aos tempos da Idade Média, oferecendo indulgências de forma simples – é que muitos não entenderam exatamente o que o arcebispo Celli tinha a dizer.

O papa Francisco estará no Rio de Janeiro durante a Jornada Mundial da Juventude, que vai de 22 a 29 de julho. [Corriere della Sera via The Guardian via The Verge]