Após a Folha divulgar que um relatório da Anatel acusa a TIM de derrubar ligações de propósito, a operadora respondeu: o executivo Mário Girasole disse que “a TIM nega veementemente qualquer tipo de atuação para derrubar chamada”. Girasole aponta falhas no relatório da Anatel, e diz que ele “acabará em nada”.

Segundo o Terra, eis o que Girasole disse após reunião com o líder do governo no Senado:

O relatório tem falhas técnicas significativas que levam a conclusões equivocadas… E faz parte de um processo de contraditório que a nosso ver acabará em nada. A queda de chamada pode depender de vários aspectos: por causa da rede que a origina, que a recebe. Outro fator: queda de chamada por falta de bateria no celular, isso não pode ser considerado problema de rede. Tem uma série de elementos que esse relatório não considerou.

O executivo diz que técnicos da própria Anatel analisaram o documento e constataram as falhas.

O líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), disse após a reunião que, se a Anatel constatar que a TIM derruba ligações de propósito, a operadora pode ser punida com a pena máxima: perder o direito de explorar o serviço no Brasil.

A Anatel, por sua vez, foi cautelosa ao se pronunciar. Bruno Ramos, superintendente de Serviços Privados da agência, disse que o relatório ainda está sob análise: por enquanto, não é possível provar nada contra a TIM. Segundo ele, a Anatel apenas descobriu “indícios” de que a rede da TIM possui um nível de quedas superior à meta.

O presidente da Anatel, João Rezende, também lembra que o relatório é preliminar, e diz que outras operadoras também estão sendo monitoradas, para saber se elas derrubam mais ligações que a meta prevista pela agência.

O relatório será usado pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) para exigir a suspensão das vendas da TIM no Estado, além de indenização e ressarcimento por gastos indevidos. O MP-PR também informa que a promotoria instaurou inquérito contra Oi, Vivo e Claro: as três operadoras também serão investigadas no Estado.

As vendas da TIM, Claro e Oi voltaram ao normal, após serem suspensas pela Anatel por algumas semanas. Mas claramente o caos das operadoras – e suas consequências – continuam. [Terra, Valor e G1]

Foto por Duncan Hull/Flickr