Seguindo uma tendência mundial, a TAM/LATAM poderá liberar o uso de celulares em vôo. Em janeiro a empresa já havia sinalizado com a intenção e a ANAC pediu alguns testes. A empresa chilena (é, amigos, chilena) passou e poderá dar essa comodidade aos passageiros, informou ontem a agência reguladora. E isso pode ser bom. Pode.

Não sei quanto a vocês, mas eu até curto o isolamento e relativo silêncio de uma viagem de avião. Não que você precise ficar isolado. Como cada vez mais gente tem notebooks, smartphones ou tablets a bordo, checar e-mails e poder trabalhar no ar parece bom – isso já é permitido em vários países do mundo. Mas o uso ou abuso depende bastante da educação das pessoas. Consigo imaginar claramente em algum vôo da TAM no futuro uma molecada vendo vídeos no Youtube sem fones e executivos na ponte aérea discutindo alto a reunião que acontecerá em meia hora. Isso pode ser potencialmente irritante. Será que haverá uma nova parte naquelas explicações de segurança tipo "etiqueta aérea"?

Em termos práticos, a conexão vai ser feita por um retransmissor no avião (espécie de femtocell) que se conectará a redes por satélite. O sistema da OnAir, criado em conjunto com a Airbus, já é usado em dezenas de companhias aéreas pelo mundo e permite aos telefones a bordo usarem a rede GPRS (2.5G) – nada de 3G – 12 por vez.  A TAM ainda não se pronunciou sobre a disponibilidade de internet por Wi-Fi, possível pelo sistema OnAir desde janeiro.

De todo modo, o aviso antes da decolagem de que os aparelhos precisam ser desligados permanece, já que a conexão à internet e celulares só é permitida a partir dos 3 mil metros de altitude. A ANAC informou que a (LA)TAM foi a única a fazer o pedido e deve testar em 3 aeronaves que fazem vôos domésticos num primeiro momento. [G1]