O museu Victoria and Albert, em Londres (Reino Unido), agora conta com um incrível pavilhão de fibra de carbono em seu pátio tecida por um robô e inspirada e com inspiração em formas da natureza.

A estrutura, construída como parte de uma nova temporada sobre engenharia no museu, é feita com 40 componentes hexagonais que cobrem uma área de 186 metros quadrados. Cada painel é feito com uma combinação de fibra de vidro transparente e fibra de carbono preta, entrelaçados em uma estrutura inspirada nas asas anteriores de um besouro — conhecidas como élitros (elytra, em inglês). Logo, a estrutura foi batizada como Elytra Filament Pavilion.

Os painéis pesam cerca de 45 quilos cada. No total, isso significa que toda a estrutura pesa em torno de 2,5 toneladas. A instalação é uma criação do arquiteto experimental Achim Menges, junto com outros colaboradores: Moritz Dörstelmann, Jan Knippers e Thomas Auer.

Cada painel levou cerca de três horas para ser construído por um robô programado por computador chamado Kuka. Um desses robôs ficará exposto no pátio do museu durante os dias de exposição. Enquanto estiver no local, o robô vai criar novos elementos que podem ser adicionados à estrutura baseado em informações coletadas em tempo real.

A temporada sobre engenharia do museu vai até 6 de novembro.