A existência de alienígenas continua um mistério. Nos últimos anos, a Marinha dos Estados Unidos diz ter registrado objetos voadores não identificados (OVNIs) no céu do país. Contudo, o serviço militar e de inteligência do país possui um relatório que sugere que não há evidências de que eles sejam naves alienígenas — mas também não descarta a possibilidade.

As informações são do The New York Times, que entrevistou funcionários da administração que preferiram manter o anonimato, já que não estavam autorizados a falar publicamente sobre as informações do relatório.

Eles destacam que o governo estadunidense não pode descartar definitivamente as teorias acerca dos fenômenos envolvendo OVNIs, porque a equipe de inteligência também não consegue explicar a origem dos acontecimentos filmados pelos pilotos. Uma análise mais completa, porém inconclusiva, do relatório deve ser divulgada ao Congresso no dia 25 de junho.

Segundo a publicação, o relatório também indica que a maioria dos mais de 120 incidentes ocorridos nas últimas duas décadas não teve relação com tecnologias avançadas do governo ou das Forças Armadas dos EUA.

Recentemente, incidentes envolvendo equipamentos militares estrangeiros da China e Rússia foram investigados no mesmo período. O porta-voz do Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, disse em comunicado à imprensa que “levam a sério todas as incursões em nossos espaços operacionais”.

Ainda assim, um dos entrevistados disse ao NYT que “as autoridades americanas sabiam que não se tratava de tecnologia estadunidense”, mas que há preocupação com a Rússia e China, que podem estar utilizando tecnologia hipersônica (velocidades altíssimas).

Para Luis Elizondo, que trabalhou na investigação da fenômenos aéreos não identificados (UAP, em inglês) do Pentágono, “alguns dos avistamentos sugerem tecnologia extremamente avançada desconhecida pelos humanos”. Segundo ele, é necessário revelar o que já se sabe sobre o tema.

O parecer também destaca que esses acontecimentos são difíceis de explicar por conta da aceleração dos objetos e a capacidade de mudar de direção ou desaparecer rapidamente.

Apesar de as questões sobre os OVNIs serem parte da cultura norte-americana há décadas, os vídeos da Marinha, divulgados pelo Pentágono, e o comentário do ex-presidente Barack Obama ao “The Late Late Show” — dizendo que “há filmagens e registros de objetos nos céus que não sabemos exatamente o que são” — abriram espaço para um debate forte e relevante.

Assine a newsletter do Gizmodo

O fato é que o assunto levanta margem para questionamentos do tipo “estamos sozinhos no universo?”. De acordo com o comentário do ex-diretor de inteligência nacional dos EUA durante os últimos meses do governo Donald Trump, de John Ratcliffe, à Fox News em março, isso pode se estender por mais tempo, já que, segundo ele, “há muito mais avistamentos do que foram divulgados”.

[Science Alert]