O surto em curso de um coronavírus recém-descoberto e às vezes fatal faz com que muitas pessoas se perguntem o quanto deveriam alterar suas vidas diárias para evitar infecções. A doença conhecida como COVID-19 está se espalhando por vários países – no Brasil, já são 13 casos confirmados. Por isso, compilamos respostas para as perguntas mais comuns enviadas por nossos leitores, amigos e colegas de trabalho.

Quanto tempo o vírus pode sobreviver em superfícies? Os sprays e toalhas desinfetantes funcionam contra ele?

Ainda há muitas incógnitas sobre o novo coronavírus, oficialmente chamado SARS-CoV-2. Isso inclui coisas como quanto tempo ele pode sobreviver fora do corpo. Mas os coronavírus não são uma nova ameaça para as pessoas em geral: outros tipos regularmente causam o resfriado comum, e o novo vírus é geneticamente próximo ao vírus da SARS, amplamente estudado. Isso significa que podemos fazer algumas suposições bem informadas sobre o assunto, de acordo com Marcus Plescia, diretor médico da Associação de Agentes Estaduais e Territoriais de Saúde, que representa agências de saúde pública estaduais e locais nos EUA.

Plescia disse ao Gizmodo que o vírus provavelmente só pode “viver” em superfícies por algumas horas, no máximo. E não há nada de especial em sua biologia que o torne impermeável aos desinfetantes domésticos, portanto eles devem funcionar também. (Ontem, a Agência de Proteção Ambiental dos EUA divulgou uma lista de desinfetantes recomendados.) As autoridades de saúde alertaram que a exposição a superfícies ou objetos contaminados com o vírus pode ser uma possível fonte de transmissão, mas o maior risco de pegá-lo permanece o contato próximo com pessoas infectadas e respirando gotículas da tosse ou espirro de alguém.

As máscaras faciais são eficazes para impedir a propagação desse coronavírus? Eles vão me proteger?

As máscaras cirúrgicas – as que você mais costuma ver as pessoas usando em público – são melhores para captar as partículas virais muito pequenas que uma pessoa infectada tosse do que para impedir que uma pessoa saudável entre em contato com partículas virais. As máscaras que formam uma vedação contra a face e contêm filtros de ar embutidos são mais eficazes na prevenção da transmissão, mas devem se encaixar corretamente e devem ser colocadas e retiradas corretamente para serem eficazes.

Especialistas com quem o Gizmodo conversou argumentaram que as máscaras podem ter um efeito positivo indireto, porque lembra as pessoas de não tocarem seus rostos. Mas em muitos lugares agora, o suprimento doméstico de máscaras faciais pode acabar, o que representa um risco para os profissionais de saúde (que usam máscaras como parte crucial da segurança no trabalho). Portanto, nosso melhor conselho, por enquanto, é usar uma máscara se você estiver doente ou cuidar de uma pessoa doente, e continuar lavando as mãos com frequência, evitando tocar no rosto e mantendo distância de outras pessoas para evitar a infecção.

Devo cancelar minha viagem?

Não existe uma resposta simples. No Brasil, ainda não há transmissão sustentada (entre pessoas que não viajaram e nem tiveram contato com indivíduos infectados), então não é necessário se preocupar tanto com viagens locais. Se você planeja viajar para o exterior, é importante verificar a lista da Organização Mundial da Saúde (OMS) de países onde há evidências de surto do vírus.

Além disso, muitos países ainda estão tentando conter seus surtos através de quarentenas e isolamento, e a situação está mudando diariamente. Portanto, você deve se preparar para a possibilidade de ficar preso em algum lugar mais do que o esperado (traga remédios extras, um laptop, etc.). Muitas empresas também estão começando a aprovar suas próprias restrições de viagem, enquanto as organizações estão cancelando grandes reuniões e convenções, portanto, fique de olho em todos os eventos dos quais você planeja participar.

Devemos parar de cumprimentar com apertos de mãos?

A parte potencialmente perigosa de apertar as mãos durante esse surto não é o contato com o outro – é tocar seus olhos, boca ou nariz com as mesmas mãos imediatamente depois. Portanto, se você não quiser se sentir mal-educado, ainda pode cumprimentar alguém, mas lave as mãos o mais rápido possível com água e sabão ou use um desinfetante para as mãos com pelo menos 60% de álcool.

As pessoas também estão adotando ou usando rapidamente outras maneiras de cumprimentar, como tocar com os cotovelos ou fazer uma leve reverência. Então vá em frente e crie uma nova tendência!

Qual a probabilidade de o vírus se tornar uma praga anual e sazonal como a gripe?

Nós não sabemos. Os recentes surtos de doenças recém-descobertas como a SARS começaram fortes, mas se espalharam em questão de meses para nunca mais voltar. Outras doenças, como o Zika, foram introduzidas em novas partes do mundo, como a América do Sul, causando epidemias generalizadas em 2016. Mas, embora o Zika continue infectando as pessoas por aqui, esses surtos não são tão potentes quanto antes.

O COVID-19, a doença causada pelo novo coronavírus, certamente poderia seguir o caminho do zika, tornando-se um resfriado leve como os causados ​​por outras espécies de coronavírus. Mas não é uma regra que novas doenças que se tornam endêmicas sempre diminuam (prova disso: HIV). Da mesma forma, há a esperança de que temperaturas mais altas possam atenuar o surto, preparando o cenário para que ele se transforme em uma doença sazonal como a gripe. Mas isso não é garantia, já que estamos vendo o COVID-19 aparecer nos países mais quentes da América do Sul e da Austrália, em pleno verão.

Algum remédio natural pode curar o coronavírus?

A lista de remédios caseiros recomendados para o coronavírus, a partir da experiência deste repórter, até agora inclui extrato de sabugueiro, alho e vários chás de ervas. Em outros lugares, alguns já tentaram vender coisas como homeopatia e prata líquida.

A verdade é que, comparadas às infecções bacterianas, as infecções virais são apenas mais difíceis de tratar. Não há tratamentos aprovados para o coronavírus, embora existam alguns medicamentos antivirais experimentais e off label sendo testados agora e que tenham se mostrado promissores.

Como a maioria das pessoas (em torno de 85%, se não mais) terá sintomas leves, mais como um resfriado do que uma pneumonia com risco de vida, medicamentos de venda livre, incluindo acetaminofeno e anti-inflamatórios não esteroides (por exemplo, ibuprofeno) deve ajudar com sintomas de febre. Pastilhas de zinco também foram mencionadas como uma maneira de prevenir ou reduzir infecções por coronavírus, mas não há fortes evidências de que eles possam funcionar.

Você deve confiar em remédios caseiros para mantê-lo protegido contra o coronavírus? Provavelmente não, e você definitivamente não deve confiar em nenhum produto que está sendo vendido como uma “cura”. Mas desde que você não esteja evitando cuidados médicos reais ou tomando qualquer medicamento que possa interagir mal com um remédio caseiro, não é o fim do mundo se você beber alguns smoothies de alho. O efeito placebo é muito real, afinal.

Como posso agir de forma responsável durante tudo isso?

Essa pergunta abrange muitas preocupações que as pessoas tiveram, desde se deveriam estocar suprimentos domésticos até se ainda é bom visitar seus parentes mais velhos.

O vírus pode se espalhar por pessoas que não apresentam sintomas, mas não acreditamos que esses casos silenciosos sejam os principais responsáveis ​​pelo surto. Há relatos de que o período de incubação do vírus – o tempo que leva para mostrar os sintomas após a infecção – dura 27 dias, mas, novamente, a maioria das pessoas parece ficar doente dentro de duas semanas e até dois dias após a infecção. Portanto, se você não estiver se sentindo doente, seria bom visitar e passar um tempo com pessoas de alto risco (idosos e/ou pessoas imunocomprometidas) sem se preocupar com a infecção; certifique-se de seguir todos os conselhos usuais, no entanto, como lavar as mãos com frequência.

Você também pode estar se perguntando o quão preocupado e proativo você deveria estar. Durante semanas, especialistas em saúde pública e repórteres (incluindo este) compararam o COVID-19 à gripe, que mata regularmente dezenas de milhares de pessoas nos EUA. Embora as pessoas devam levar a gripe mais a sério, esse surto não é algo a ser ignorado – será pior do que uma temporada típica de gripe.

Ao contrário da gripe, não temos uma vacina ou tratamentos para atenuar o impacto ou a propagação do COVID-19. Embora sua verdadeira taxa de mortalidade não seja clara, é provável que seja várias vezes mais mortal que a gripe, especialmente para pessoas mais velhas e imunocomprometidas. No momento, as agências de saúde estão tentando encontrar e conter surtos locais da doença. Mas esses esforços provavelmente falharão e você deve se preparar para fazer mudanças a fim de manter você e seus entes queridos em segurança.

Você não precisa transformar drasticamente sua vida ainda. Mas talvez você possa comprar um suprimento maior de alimentos não perecíveis e outras coisas que você usa regularmente, especialmente sabão. Se você tem uma doença crônica que requer medicação, verifique se você tem um suprimento constante de prescrições que podem durar algumas semanas.

Se o COVID-19 começar a se espalhar na sua cidade, comece a trabalhar de casa, se puder. Se você estiver doente (mesmo que você pense que é apenas um resfriado leve), definitivamente fique em casa e longe dos outros. Se você estiver gravemente doente – a ponto de ter problemas para respirar – consulte um médico para fazer o teste. Infelizmente, todas essas coisas serão muito mais difíceis de fazer para as pessoas que trabalham com salários baixos e sem licença remunerada.

Em termos gerais, não há problema em sentir medo quando você ouvir alguém tossir e evitar reuniões sociais com grandes grupos de pessoas. Mas não deixe esse medo se transformar em ódio e preconceito contra outras pessoas – o vírus não se importa com a etnia das pessoas que infecta, e você também não deveria.

A maioria das pessoas que ficam doentes, principalmente crianças pequenas, conseguem lidar bem com a doença, e isso é bom. Mas também não descarte isso como um incômodo inofensivo – é melhor fazer planos agora, antes que a situação piore.