A Pfizer e a BioNTech anunciaram nesta quinta-feira (26) um acordo com a Eurofarma para produzir sua vacina contra Covid-19 no Brasil. A carta de intenção diz ainda que a distribuição das doses será feita exclusivamente na América Latina. A expectativa é que, em plena capacidade operacional, a produção anual excederá 100 milhões de doses — que começarão a ser produzidas já em 2022.

De acordo com o G1, Albert Bourla, presidente e CEO da Pfizer, afirmou que o acordo vai permitir um acesso justo e equitativo ao imunizante. “Todos – independentemente da condição financeira, etnia, religião ou geografia – merecem acesso às vacinas contra a Covid-19, que salvam vidas. Nossa nova colaboração com a Eurofarma expande nossa rede global de cadeia de suprimentos, nos ajudando a continuar fornecendo acesso justo e equitativo à nossa vacina”, comentou.

Assine a newsletter do Gizmodo

Esta é a primeira vacina contra o novo coronavírus aprovada de forma definitiva pela Food and Drug Administration (FDA, sigla em inglês), agência reguladora dos Estados Unidos. Ela foi autorizada para uso emergencial nos Estados Unidos, em dezembro de 2020, para pessoas com 16 anos ou mais. No entanto, em maio deste ano, a autorização foi estendida a maiores de 12 anos.

Além disso, foi o primeiro imunizante a obter registro definitivo no Brasil. Segundo dados do Localiza-SUS, mais de 30 milhões de doses já foram aplicadas no país. Esta será a terceira vacina fabricada no país. A CoronaVac, da Sinovac, é fabricada em parceria com o Instituto Butantan (SP). Já a vacina da AstraZeneca/Oxford é fabricada pela Fiocruz (RJ).