Um novo recurso da Tesla que permite que o carro mude de pista automaticamente pode apresentar riscos de segurança para os motoristas que não estiverem atentos enquanto a configuração está ativada, de acordo com o Consumer Reports.

Por meio de seus próprios testes independentes com um Modelo 3 em rodovias, a Consumer Reports encontrou diversos problemas com a função oferecida por meio do recurso piloto automático da Tesla. Isso inclui ultrapassar veículos que se movem em velocidades maiores, além de problemas com frenagem e em acompanhar o tráfego.

Ao entrar em uma área com tráfego intenso, de acordo com o Diretor de Relatórios Automotivos Jake Fisher, o sistema “geralmente aciona os freios imediatamente para criar espaço atrás do carro seguinte — isso pode causar uma surpresa abrupta para o veículo que você ultrapassa”.

Além disso, o relatório afirma que o recurso tentava fazer mudanças de via, o que era estritamente ilegal nas rodovias onde o teste estava sendo realizado em Connecticut.

A Tesla alegou em um post em abril que, através de suas opções de navegação personalizáveis, o piloto automático pode ser ajustado quando estiver em rota para ligar sozinho, alertar o motorista sobre futuras mudanças de pista ou exigir uma confirmação do motorista para a ação. Os motoristas podem parar uma mudança de faixa automática através da tela do carro ou movendo a alavanca de seta do veículo. A empresa ressalta que “o recurso não torna o carro autônomo e as mudanças de pista só serão feitas quando as mãos do motorista forem detectadas no volante”.

A Tesla afirma em seu blog que “até que carros totalmente autônomos, sem motoristas, sejam validados e aprovados pelos reguladores, os motoristas são responsáveis ​​e devem permanecer no controle de seu carro o tempo todo”.

Um aviso semelhante é exibido para os motoristas com o recurso ativado, de acordo com a Consumer Reports. Mas observou-se que, ao desligar a função de confirmação, o pop-up é exibido inicialmente ao alterar a configuração, mas não aparece novamente enquanto o recurso está ativo e em uso.

A Tesla não retornou imediatamente o pedido de comentário sobre os problemas encontrados.

Na mesma época em que o recurso foi lançado, o CEO da Tesla, Elon Musk, disse acreditar que a tecnologia de sua empresa chegará em breve a um ponto em que “intervir seriamente diminuirá a segurança”, algo que ele diz que pode ocorrer no final deste ano. No entanto, ele também afirma que, embora acredite que Teslas estarão “completos” até o final de 2019, isso não significa uma experiência completamente autônoma que não requer a supervisão do motorista. Segundo ele, no entanto, isso deve ocorre até o final de 2020.

A Tesla disse em abril que através de testes internos, “mais de meio milhão de milhas” foram percorridas coletivamente com a função de mudança de pista sem a confirmação do motorista, além de mais de 9 milhões de mudanças sugeridas com o piloto automático habilitado. Mas, em última análise, argumentou Fisher, a supervisão exigida da função de mudança automática de faixa “é muito mais difícil do que apenas mudar de faixa você mesmo”.