Se apenas Howard Carter tivesse acesso às imagens de satélite, talvez ele tivesse descoberto mais do que só a tumba do Rei Tut. Felizmente, o Google Earth significa que qualquer um pode examinar a superfície do planeta em busca de tesouros perdidos. Incluindo Angela Micol, uma pesquisadora e arqueóloga que acredita ter encontrado as até então não descobertas pirâmides antigas, escondidas à vista de todos no Egito.

Micol, que vive na Carolina do Norte, chegou a dois locais separados por cerca de 145 km que possuem todos os sinais de terem pirâmides antigas. A primeira tem aproximadamente 42,6 metros de comprimento com um topo plano, o que indica que a erosão possa ter destruído seu cume. Três outros montes se estendem a partir dele, quase como se fossem uma cauda. Se esse alinhamento soa familiar, é porque ele se parece com a forma que as famosas pirâmides de Giza estão alinhadas.

Considere, ainda, que o local fica a 3,2 km a leste de Dimai, uma cidade antiga que acredita-se foi fundada por Ptolomeu II no século 3 AC. E que as construções aparentemente foram levantadas com tijolos de barro e pedras — exatamente como as ruínas da cidade.

O outro local, a 19,3 km da cidade de Abu Sidhum, perto do Nilo (onde todas as outras pirâmides egípcias estão), tem quatro montes com topos triangulares. Dois são maiores e dois, menores, com 76,2 metros e 30,5 metros, respectivamente. Do que se pode observar, as quatro construções foram dispostas de forma bastante deliberada, muito parecida com um planalto próximo em formato triangular.

Outras pirâmides.

É fácil termos esses avistamentos no Google Earth e as pessoas fazem isso o tempo todo. Mas nesse caso, o egiptologista e expert em pirâmides Nabil Selim confirmou que essas podem ser bem reais. Nem mesmo 1% do Egito antigo já foi escavado. E essa não é a primeira vez que um pouco de escavação virtual recuperou tesouros no Egito. Ano passado, a egiptologista e professora da UAB Sarah Parcak anunciou a descoberta de 17 pirâmides, 3100 assentamentos antigos e quase 1000 tumbas com a ajuda de imagens de satélite infravermelhas. É um montão de múmias.

A revelação de Micol pode ser furada, mas os detalhes sugerem que a pesquisadora hobbista tem uma maravilhosa descoberta em suas mãos. Ou melhor, em seu navegador. [Google Earth Anomalies via ANN viaEngadget]