V774104: esse é o nome do planeta anão que astrônomos revelaram na semana passada, e ele está três vezes mais distante do Sol do que Plutão. É o objeto mais distante já descoberto no nosso sistema solar, e ele pode significar que ainda mais planetas desse tipo estão nos cantos escuros do nosso universo esperando a descoberta.

O anúncio foi feito nos EUA durante o 47º encontro anual da divisão de Planetas e Ciências da Sociedade Americana de Astronomia. Scott Sheppard, astrônomo do Instituto Carnegie de Ciência, co-liderou a equipe por trás da descoberta, e ele foi o responsável por fazer o anúncio.

O telescópio japonês infravermelho Subaru de 8,2 metros, que fica localizado no Havaí, foi quem encontrou o planeta anão. Estima-se que ele tenha entre 500 e 1000 metros e largura, cerca de metade do tamanho de Plutão.

Isso faz com que o V774104 seja oficialmente o objeto mais distante já encontrado no nosso sistema solar. Ele está a cerca de 15 bilhões de quilômetros do Sol, ou cerca de 103 unidades astronômicas (UA). Uma unidade astronômica equivale à distância entre o Sol e a Terra. O antigo objeto mais distante do nosso sistema solar era um outro planeta anão chamado Eris, que foi descoberto há uma década e está a “apenas” 97 UA.

Então porque isso é tão legal? Tirando o fato de termos encontrado um novo planeta anão no nosso sistema solar, a descoberta sugere que o sistema solar seja maior do que pensávamos, e pode estar ainda mais povoado por planetas desse tipo, segundo a Science.

Cientistas vão continuar monitorando a órbita do novo objeto ao longo do próximo ano. Se ele permanecer distante do Sol, isso pode significar que ele é um dos dois raros corpos congelados que está no nosso sistema solar mas longe da influência gravitacional do Sol. Isso pode significar que algo além do Sol pode estar influenciando a órbita de objetos como o V774104. Uma teoria é que um planeta gigante e sombrio que ainda será descoberto – ainda não foi por estar distante demais da gente – está afetando essas órbitas, ou então que esse gigante hipotético perturbou a órbita desses objetos menores enquanto estava sendo ejetado do sistema solar.

Qualquer que seja o caso, esse anúncio é um passo adiante na descoberta de mais objetos celestes a quase um sistema solar de distância, e isso pode destravar alguns outros segredos espaciais. [Science, The Japan TimesWired UK]

Imagem de topo: Telescópio Subaru, no Havaí. Via Shutterstock