A Life Box é uma caixa de papelão perfeitamente normal. Os vendedores podem enviar produtos nela. Quem a recebe pode reciclá-la. Mas reciclar seria um desperdício, porque a Life Box pode ser rasgada e enterrada para plantar 100 árvores.

A composição de cada caixa é simples: papel reciclado em cujas fibras foram inseridas cerca de 100 sementes de árvores, cada uma salpicada com esporos de fungo, formando uma micorriza. Quando plantadas, as sementes brotam graças em parte ao fungo, que ajuda a nutrir a planta. Espero que o entregador do Fedex não molhe a caixa, senão as sementes podem começar a crescer mais cedo.

As Life Boxes, no momento, estão sendo produzidas em pequena escala. É possível comprar até 100 unidades para sua empresa a preço não-divulgado, ou uma caixa por 30 a 50 dólares. (Sim, caro demais pra se considerar.) Mas imagine uma empresa grande, como a HP ou a Sony, apoiando a ideia e financiando o processo em escala. Como o site Inhabitat aponta, "uma participação de 1 a 2% no mercado americano de papelão poderia cobrir [de árvores] até 10.000 hectares de terra por semana". E, mesmo se apenas uma árvore cresça das 100 sementes, em 30 anos ela terá absorvido uma tonelada de dióxido de carbono.

A Life Box foi aprovada pelo Departamento de Agricultura de todos os estados americanos (exceto o Havaí) e no Canadá, mas ainda precisaria de aprovação de outros países para ser enviada ao exterior, para não espalhar espécies de plantas não-nativas em outras regiões. E ainda existe um problema: onde vamos plantar tantas árvores? Em uma cidade pequena, pode até fazer sentido, mas em cidades grandes não dá pra jogar a caixa na varanda do apartamento e ver árvores crescer.

Ainda assim, achei a ideia muito legal. [The Life Box via Inhabitat]