O óculos ganhou o apelido de Robocop, mas o que ele faz lembra a habilidade ótica do Predador: a Polícia Militar passará a utilizar um equipamento que identifica bandidos procurados no meio da multidão, acessando o banco de dados da polícia em tempo real e escaneando nada menos do que 400 faces por segundo.

O “óculos Robocop” será usado em shows, jogos de futebol e qualquer evento potencialmente perigoso ao ar livre — a ideia, inclusive, é que ele seja comum até 2014, o ano da Copa no Brasil. O sistema acoplado ao óculos foi batizado de biometria facial. O rosto é escaneado, os dados são enviados em tempo real à Polícia e, caso o cidadão esteja com contas pendentes com a Justiça, o policial tem liberdade para agir.



A tecnologia foi criada em Israel e promete escanear 400 faces por segundo em uma distância de até 50 metros — a polícia diz que é possível configurá-lo para ler rostos em até 20 quilômetros de distância, mas achamos essa afirmação um pouco estranha. Como o sistema de biometria facial analisa 46 mil pontos no rosto de uma pessoa, nem gêmeos são confundidos pela máquina.

A PM fez uma demonstração do sistema ontem, e os relatos são de velocidade na identificação. Mas pelas imagens, a parte externa da tecnologia não é tão futurista quanto o resultado — uma webcam no topo e um emaranhado de fios? Acho que a polícia precisa bater um papo com a Lady Gaga. [G1 e Estadão, foto por Márcio Fernandes / AE]