Sem dúvidas, as calhas em volta do seu telhado são uma história de terror. Provavelmente estão cheias de poeira, folhas e qualquer que seja o animal que decidiu fazer ninho lá em cima. Embora a próxima limpeza definitivamente deva acabar com esses terrores, aguente firme, porque pode haver também micrometeoritos presos por lá.

• A tentativa dos japoneses de limpar o lixo espacial fracassou
• Sonda da NASA que irá se encontrar com asteroide ganhou uma missão secundária

Em um estudo publicado na November in Geology, uma equipe de cientistas europeus analisou materiais de um grupo chamado Projeto Stardust, que pediu a pessoas em Oslo, na Noruega, que coletassem detritos de seus telhados. O líder do projeto, Jon Larsen, também ofereceu assistência como coautor deste estudo, que confirmou que os “meteoritos urbanos” não são apenas lenda — eles estão literalmente o mais próximos de nossas casas que poderiam estar.

De 299,8 quilos de detritos analisados pela equipe, 48 amostras foram confirmadas como ‘esférulas cósmicas’, formadas por derretimento extremo, conforme um meteorito se aquece na atmosfera da Terra. As descobertas do grupo incluem alguns dos maiores (e mais jovens) micrometeoritos já encontrados. É importante observar “maiores” sob perspectiva, já que essas amostras na verdade têm entre 300 e 400 mícrons de comprimento, o que as torna extremamente difíceis de serem vistas sem a ajuda de um microscópio.

Os micrometeoritos nessa nova coleção foram principalmente encontrados em telhados de prédios de, no máximo, 50 anos de idade, então pode-se presumir que as pedras tenham uma idade terrestre de 0 a 50 anos, o que as torna novas, em comparação com maior parte dos micrometeoritos em outras coleções”, escreveu Larsen, em ensaio compartilhado com o Gizmodo.

LarsenJon Larsen procurando amostras em um telhado (Cortesia de Jon Larsen)

Conforme a equipe notou em seu estudo, a ideia de micrometeoritos urbanos foi descartada há muito tempo, sendo considerada um “mito”. Essa descoberta recente prova que são, na verdade, reais e, além disso, que os cientistas não precisam ir a regiões remotas como a Antártica para encontrar esses intrusos cósmicos minúsculos.

Acredita-se que mais de 100 bilhões de micrometeoritos caem na Terra a cada ano. Então, se você é um entusiasta do espaço mas um dono-de-casa preguiçoso, isso pode te dar aquele empurrãozinho extra para limpar suas calhas.

[Geology]

Imagem do topo: NASA/JPL