A polícia do Reino Unido sonha com o dia quando até mesmo o mais tecnologicamente analfabeto do seu corpo será capaz de plugar um dispositivo em um computador que automaticamente descobrirá atividade ilegal do disco rígido.

Charlie McMurdie, arquiteto da Unidade Central de Crime Eletrônico da Polícia do Reino Unido, disse que o ideal seria o dispositivo ser tão fácil de se usar quanto um bafômetro, possibilitando que os policiais de campo instantaneamente extraíssem dados de um número crescente de computadores apreendidos em batidas policiais. Atualmente, são necessários 6 a 12 meses para se obter os dados da análise.

McMurdie também vislumbra um “servidor forense central” que permitiria que os peritos de todo o Reino Unido pudessem acessar e analisar informações. Por exemplo, um banco que suspeite de um crime cibernético ter sido perpetrado poderia plugar o seu disco rígido no servidor e tê-lo analisado por peritos à distância. McMurdie foi ainda mais longe ao discutir este plano com o FBI. Naturalmente, as questões de privacidade e a plausibilidade destas idéias estão abertas para o debate. [Silicon via Slashdot; imagem via eyeliam]