A polícia da Índia realizou buscas nos escritórios do Twitter nas cidades de Nova Delhi e Gurgaon nesta segunda-feira (24). O objetivo da ação era encontrar explicações sobre uma publicação do porta-voz do partido governista Bharatiya Janata Party (BJP), Sambit Patra, no último dia 18 de maio. O post em questão foi sinalizado pela rede social como “mídia manipulada”.

Na mensagem publicada por Patra, o governista compartilhou no Twitter capturas de tela de um suposto documento criado pelo Congresso Nacional Indiano, composto em sua maioria por partidos de oposição. No suposto documento, que Patra chama de “conjunto de ferramentas”, o Congresso teria destacado falhas do governo indiano em lidar com a pandemia, que está fora de controle no país e vem batendo recordes de casos e mortes.

Patra acusa o Congresso de criar mentiras para prejudicar o combate do governo à pandemia de Covid-19, em medidas lideradas pelo primeiro-ministro Narendra Modhi. O Congresso declarou que o documento apresentado por Patra é falso. A Alt-News, uma das principais agências de checagem da Índia, também desmentiu o integrante do partido BJP.

Pouco tempo depois, o Twitter sinalizou a postagem de Patra como “mídia manipulada”, indicando que aquele post do governista não era verdadeiro. Isso levou o governo de Nova Delhi a enviar uma notificação à direção global do Twitter para explicar os motivos que levaram a empresa a marcar a mensagem, além de solicitar a remoção da sinalização no tweet em questão.

Polícia indiana visita os escritórios do Twitter

Segundo informações da BBC, a polícia de Delhi, estado-capital da Índia, disse que a visita nos escritórios do Twitter fez parte da investigação das autoridades locais para entender a sinalização da mensagem de Patra. A polícia também se dirigiu aos locais para notificar o diretor-gerente da empresa, mas não classificou o ato como uma invasão.

“Isso foi necessário porque queríamos determinar quem é a pessoa certa para enviar uma notificação, já que as respostas do diretor-gerente do Twitter na Índia têm sido muito ambíguas. Parece que a rede social tem algumas informações que não são conhecidas por nós, e essas informações são relevantes para a investigação”, disse a polícia indiana e comunicado oficial.

Os agentes da polícia encontraram os escritórios do Twitter vazios durante a operação. Todos os funcionários da rede social na Índia trabalham remotamente desde março de 2020 devido à pandemia do novo coronavírus.

A sinalização de “mídia manipulada” é um recurso lançado pelo Twitter em fevereiro de 2021. As regras se aplicam a qualquer tipo de postagem, incluindo aquelas que contenham mídia (áudio, foto ou vídeo), que “foram alteradas ou fabricadas de forma enganosa e que podem “impactar a segurança pública”. Donald Trump, por exemplo, teve vários tweets marcados enquanto a função ainda estava em fase de testes, até ser banido permanentemente da plataforma.

Assine a newsletter do Gizmodo

Redes sociais estão na mira da Índia

A relação entre o governo indiano e as redes sociais tem sido tensa nos últimos meses, principalmente após o agravamento da pandemia no país. Nesta segunda-feira (24), o Ministério de Tecnologia da Informação da Índia pediu a todas as empresas de mídia social para que removessem qualquer conteúdo que se referisse a uma “variante indiana” do coronavírus. Ainda ontem, a Índia ultrapassou as 300 mil mortes em decorrência do vírus.

Em abril, o governo indiano pediu que Twitter, Facebook e Instagram censurarem posts que criticassem as medidas de combate à pandemia. No caso do Twitter, o serviço confirmou ter removido algumas postagens, mas não especificou quais. Relatos da imprensa indiana apontam que críticas ao primeiro-ministro Narendra Modi estavam entre as remoções.

[BBC, CNN]