A gente já sabia que a Positivo preparava um smartphone Android, e ontem ela confirmou o que esperávamos: o Ypy S400 roda Ice Cream Sandwich com seu processador dual-core, e tem espaço para dois chips. Também há o modelo Ypy S350, mais simples e mais barato.

Com eles, a Positivo quer usar sua influência no mercado brasileiro de PCs para crescer em smartphones. Será que ela consegue?

Como vimos antes, o Ypy S400 possui entrada para dois chips, tela de 4″ com resolução 800×480, e processador dual-core de 1 GHz. Trata-se do modelo Snapdragon S4 Play, um dos mais fracos da família S4.

São 512MB de RAM, mais 4GB de espaço interno e microSD de 8GB acompanhando o aparelho. Ele possui câmera de 5MP sem flash, além de frontal VGA. Com 3G e Wi-Fi, o aparelho tem bateria de apenas 1.500mAh. Ele roda Ice Cream Sandwich sem perspectiva de atualização para Jelly Bean.

São especificações semelhantes ao Samsung Galaxy S Duos e LG Optimus L5 Dual, ambos aparelhos que aceitam dois chips. E todos eles rodam Ice Cream Sandwich direto da caixa. No entanto, o Ypy S400 custará mais barato já no lançamento: R$749. Ele deve chegar ao varejo na segunda metade de novembro.

A Positivo também anunciou o Ypy S350 (abaixo), seu modelo de entrada com tela de 3,5″, 512MB de RAM e… Gingerbread. Ele custará R$459 quando for lançado, também em novembro. Você poderá encontrá-lo na versão Ypy S350 Colors, com três capinhas coloridas e mesmas especificações, a R$499.

Segundo o Ztop, a Positivo entra no mercado de smartphones visando dois objetivos: vender tablets e smartphones para o governo, um de seus maiores clientes; e ganhar espaço entre consumidores usando sua presença no mercado de PCs.

Hoje, a Positivo vende só computador. É um mercado saturado, com margens baixas de lucro. HP e Dell já consideraram largar o mercado de PCs para consumidores. Entendemos por que a Positivo não quer depender só disso.

E o mercado de smartphones, também não é saturado? Apple e Samsung concentram a maior parte das vendas – e do lucro – enquanto outras empresas sofrem para se destacar. E no Brasil? A história parece um pouco diferente. Segundo a IDC, o número de smartphones crescerá 73% este ano, após ter aumentado 84% em 2010. Há poucos smartphones no Brasil: eles ainda correspondem a menos de um terço das vendas.

Então talvez haja espaço para a Positivo entrar no mercado. Só que também existe uma concorrência feroz de pelo menos três gigantes: Samsung, LG e Nokia. E elas montam vários produtos no Brasil, ou seja: terão benefícios do governo caso a Lei do Bem para smartphones seja aprovada. É uma briga difícil. A Positivo conseguiu disputar contra as fabricantes estrangeiras de computador; vejamos se a história se repete em smartphones. [Ztop]