Mais de 300 mil pessoas colocaram seus nomes e emails em um abaixo-assinado em repúdio à candidatura de Renan Calheiros à presidência do Senado. Os senadores eleitos não ligaram muito para avoz da internet e escolheram o candidato governista, que já tinha sido presidente da casa de 2005 a 2007, quando renunciou por causa de denúncias de corrupção. Agora, circula pelas redes sociais uma nova petição, exigindo o seu impeachment, e já são mais de 100 mil emails cadastrados. Ela não terá qualquer valor prático, de novo, mas levanta alguns questionamentos interessantes.