Esta é para os amantes da Lua, em todas suas fases: fique atento no amanhecer desta sexta-feira (19). O Brasil poderá observar um dos mais belos fenômenos astronômicos: o Eclipse Lunar Parcial.

O satélite terá mais de 97% de sua superfície coberta pela sombra da Terra e ganhará uma aparência avermelhada. O fenômeno começará por volta das 4h19, horário de Brasília, e deve durar pouco mais de 3h. Detalhe: este será o evento lunar mais duradouro dos últimos 580 anos.

Apesar disso, ele pode ser observado uma hora antes, quando a Lua entra na meia-luz da Terra (parte externa da sombra). Nesse momento, o satélite escurece de forma sutil. O apogeu deve acontecer às 6h, mas não será possível mais vê-la porque a Lua já estará abaixo do horizonte no Brasil.

Para observar bem o eclipse

Por mais óbvio que seja, é importante destacar que para ver os fenômenos astronômicos é necessário ter um céu sem nuvens e com pouca nebulosidade. Neste caso, não será necessário o uso de binóculo ou telescópio. 

Mas o horizonte a oeste/noroeste deve estar livre da interferência de prédios, árvores, montanhas e qualquer coisa que impeça a visualização. 

Por que a Lua fica vermelha?

Segundo a Nasa, a luz viaja em ondas. Diferentes cores de luz possuem diferentes propriedades físicas. A luz azul tem um comprimento de onda mais curto e é espalhada mais facilmente por partículas na atmosfera da Terra do que a luz vermelha, por exemplo, que tem um comprimento de onda mais longo. Assim, o brilho vermelho viaja mais diretamente pela atmosfera. 

Este fenômeno, chamado de Dispersão de Rayleigh, é o mesmo que explica “por que o céu é azul e o pôr do sol é vermelho”, de acordo com a agência.

A Lua fica vermelha durante um eclipse lunar porque a única luz solar que atinge o satélite passa pela atmosfera da Terra. Assim, quanto mais poeira ou nuvens na atmosfera do planeta durante o eclipse, mais vermelha a Lua aparecerá. É como se todos os amanheceres e entardeceres do mundo fossem projetados no satélite. 

Assine a newsletter do Gizmodo

Eclipse lunar parcial ao vivo

Agora, se você mora em uma região em que o eclipse não será visível, ou até mesmo será difícil acompanhar, não se preocupe. Marcos Calil, faz lives do céu toda terça-feira à noite por seu canal do Youtube. Mas, como essa será uma ocasião especial, a transmissão deste evento será feita pelo canal do IPRODESC, instituição que gerencia o planetário de Santo André e o Núcleo de Observação do Céu, na qual o professor especialista é coordenador científico.