O presidiário texano Derrick Ross, 38 anos – três vezes condenado por roubo – teve sua pena aumentada em mais 60 depois de ter sido pego falando em um telefone celular dentro do presídio.

Telefones celulares não são permitidos atrás das grades, mas normalmente quem é pego recebe 2 a 10 anos de pena. No caso de Ross, o promotor Allyson Mitchell explicou que a pena de 60 anos serve mais para mandar um recado aos outros presos, visitantes ou funcionários sem ética que deixar um celular entrar na prisão não só é uma infração grave, mas que eles também não têm medo de gastar 60 anos de dinheiro de impostos apenas para dar lição em uma pessoa. [Palestine Herald via Switched]

[PB: Quase igual ao Brasil, néam?