À medida que mais objetos passam a se conectar à internet – de smartphones a geladeiras – há uma necessidade crescente de chips de baixa potência. A empresa americana Atmel criou um processador desse tipo, que pode durar mais de dez anos com uma só carga de bateria.

A família SAM L21 de microcontroladores de 32 bits é baseada em tecnologia da ARM, cuja arquitetura está presente na maioria de smartphones e tablets atualmente.

Os chips consomem 35 microampères por megahertz de processamento quando ativos, e apenas 200 nanoampères quando estão ociosos. Isso é tão pouco que ele poderia funcionar com energia obtida a partir do seu corpo. Isso também significa que uma bateria para ele duraria muito, muito tempo.

O processador tem outros truques inteligentes na manga. Normalmente, em um chip como esse, o modo ocioso desliga todas as funções, exceto o relógio: assim, ele precisa “acordar” toda vez que um dispositivo conectado se comunicar com outros.

No entanto, este novo chip da Atmel tem diferentes estados ociosos, permitindo que dispositivos conectados conversem entre si enquanto o chip consome pouca energia.

Claro, você não vai encontrar um enorme poder de processamento aqui. O chip mais potente tem um núcleo Cortex M0+ de 42 MHz, e acompanha 256 KB de memória flash, 32 KB de RAM mais 8 KB de RAM de baixa potência. Isso é o suficiente para rodar pequenos programas, ativar interfaces de hardware, ler e gravar dados a partir de sensores, tuitar, entre outros.

Preço e disponibilidade ainda não foram anunciados; kits com o processador estarão disponíveis para desenvolvedores nos próximos meses. [Atmel via Ars Technica]

Foto por Atmel