Este ano, a ARM revelou a arquitetura que estará nos futuros processadores rápidos de smartphones e tablets. E quem não puder pagar por um dispositivo top de linha? A ARM tem uma alternativa barata e eficiente.

O Cortex-A35 é o chip para o “próximo bilhão de usuários de smartphones”, voltado para mercados como a China, Índia e Brasil.

Ele consome 10% a menos de energia, oferece desempenho de 6% a 40% maior, e tem suporte a 64 bits. Isso significa que smartphones de baixo custo poderão rodar apps mais exigentes sem comprometer a vida útil da bateria.

Essa comparação é feita com a arquitetura Cortex-A7, lançada em 2011 e ainda bastante comum em modelos de entrada. Na verdade, a tecnologia Cortex-A7 e A5 foi usada em mais de 2 bilhões de smartphones básicos – agora ela tem um sucessor.

a7-perf

O Cortex-A35 é versátil, e pode aparecer também em smartwatches, pulseiras fitness e outros dispositivos menores. Isso permite criar wearables mais seguros, já que ele tem suporte a 64 bits e isso é bastante útil na criptografia.

Vale lembrar que a ARM não fabrica os processadores: ela licencia o design para outras empresas. Algumas delas – como Apple e Samsung – preferem licenciar a arquitetura do chip e adaptá-la, criando seus próprios designs. Outras recebem o projeto inteiro, e apenas o fabricam.

Por isso, vai demorar um pouco até que o Cortex-A35 chegue ao mercado: ele já foi licenciado, e aparecerá em dispositivos até o final de 2016.

[ARM via PC World e Engadget]

Imagens via Anandtech