A lista divulgada pelo Procon-SP (clique aqui para ler) é recheada de sites obscuros. Parte deles não está mais no ar, mas 11 deles continua na atividade. O Procon não conseguiu entrar em contato com nenhum dos representantes dos sites — é comum usar dados falsos para esse tipo de golpe. Ao G1, o Procon contou que nem sistemas de rastreamento avançados ajudaram na hora de encontrar os criminosos.

Enquanto o Procon-SP tenta encontrar os vilões, fique de olhos bem abertos. Comprar na internet é cada dia mais fácil e seguro, mas não vá bancar o desavisado por aí. [G1]