Montar 1.100 caixões por dia deve ser um trabalho meio nefasto. Até porque mais de mil caixões por dia indica que muita gente anda morrendo. Tudo isso para dizer que a Batesville Casket Company, em Manchester, no estado de Tennessee, agora oferece computadores sensíveis ao toque para os usuários escolherem como irão customizar o caixão, com 22 opções de cores, além de todos os detalhes.



A mudança no estilo é simples: as pessoas têm vivido mais, morrem menos e cada vez mais têm optado pela cremação. E isso tem atingido a clássica indústria dos caixões, que precisa de uma repaginada. Com a adição de computadores e até códigos de barras, os futuros usuários do produto podem criar o caixão com a sua cara, com mais de mil combinações diferentes, envolvendo cores, símbolos, detalhes internos etc. Parece um bom argumento para não entrar na caixa de fogo. [Atlantic]