Aponte um projetor para qualquer coisa diferente de uma tela completamente plana e você verá uma imagem distorcida. Mas uma equipe de pesquisadores do Laboratório Ishikawa Watanabe em Tóquio, Japão, criou um projetor que pode compensar superfícies móveis e tortas ao fazer a imagem parecer mais como um adesivo perfeitamente aplicado em vez de uma projeção.

É uma técnica conhecida como mapeamento de projeção, e é parecida com a forma como texturas são aplicadas a modelos 3D em jogos. Mas esse projetor funciona no mundo real, e em quase qualquer objeto irregular, mesmo os que não contam com uma superfície rígida. Então mesmo quando uma camiseta balança por causa do vento de um ventilador a imagem nela continua aparecendo sem nenhum tipo de deformação.

A tecnologia exata que dá capacidades especiais a esse projetor está sendo guardada a sete chaves. Ninguém vai pesquisar uma coisa dessas por anos e então simplesmente entregar a propriedade intelectual para o mundo. Mas o sistema usa uma câmera que pode ver uma grade aplicada a objetos usando uma tinta infravermelha invisível ao olho humano, e consegue rastrear como esse objeto é torcido em tempo real.

projetor-1

Usando a grade deformada como referência, o projetor pode então torcer a imagem projetada para combinar perfeitamente com a superfície na qual ela é projetada. Configurações parecidas já existem há algum tempo, mas ao elevar a taxa de quadros do projetor a incríveis 1.000 quadros por segundo, o delay entre o que a câmera vê e o que o projetor projeta é reduzido a míseros três milissegundos. Para o cérebro humano, é como se tudo acontecesse em tempo real.

Então além de criar vídeos incríveis para o YouTube, quais são os outros possíveis usos para essa tecnologia? Em um nível básico, isso pode facilitar bastante a instalação de um projetor em um escritório sem que ninguém precisa ficar acertando configurações de imagens na tela. No outro espectro, pense em anúncios no uniforme de atletas que se adaptam de acordo com os movimentos deles em um jogo.

projetor-2

Se você deixar a sua imaginação correr solta, essa tecnologia também pode facilitar uma versão bruta do holodeck de Star Trek, projetando imagens em usuários sem a necessidade de mudanças, e mapeamento dinamicamente imagens em todos os objetos em uma sala para mudar a aparência delas com base em um evento simulado.

[Ishikawa Watanabe Laboratory via Twitter – Kert Gartner]