Não só o Android tem problemas com propaganda em apps. Ano passado, a Apple mandou os desenvolvedores pararem de usar UDIDs, números únicos ligados a cada iPhone que tornam possível monitorar quem usa os apps. Mas serviços de propaganda decidiram passar por cima da regra.

O Wall Street Journal informa que, para driblar a proibição do uso de UDIDs, desenvolvedores de software estão usando outros truques para levar propaganda direcionada aos usuários do iPhone. Com isso, elas estão violando diversas regras de privacidade. Do WSJ:



Para evitar os limites das regras da Apple, redes de propaganda que servem anúncios dentro de apps móveis começaram a usar novos identificadores que coletam informações, como localização e preferências, à medida que o usuário troca entre apps. Um dos sistemas de rastreamento é baseado em um identificador único, localizado no hardware de rede sem fio no iPhone – um sistema conhecido como Número Aberto de Identificação de Dispositivo, ou ODIN. A outra alternativa proeminente de rastreamento, chamada OpenUDID, usa a função embutida de copiar e colar no dispositivo.

Os dados que podem ser capturados usando tais técnicas permitem aos serviços de propaganda levar anúncios mais personalizados. As redes que fazem isto – como a SponsorPay – dizem que a informação só permite a elas “reconhecer usuários como um conjunto aleatório de números”, então eles nunca poderiam identificar as pessoas usando apenas os dados.

No entanto, especialistas em privacidade apontam que coletar vários dados – como hábitos de consumo, localização e preferências pessoais – pode, com o tempo, permitir que uma empresa conecte as informações ao nome da pessoa.

A Apple ainda não se manifestou. [Wall Street Journal]

Foto por Tischenko Irina/Shutterstock