As grandes cidades sofrem com as chamadas ilhas de calor, causadas pela concentração de asfalto, ruas, avenidas e concreto. Isso pode causar o superaquecimento desses lugares, impactando a saúde dos moradores. Com a ausência do plantio de mais árvores, outras soluções podem ser necessárias para ajudar a refrescar as cidades.

A Pavement Technology Inc. criou um tratamento de spray para pavimentos, chamado ARA-1 Ti, que pode reduzir sua temperatura. Desenvolvido em colaboração com pesquisadores da Louisiana State University, a composição do spray é um segredo comercial, mas sabemos que é baseada em óxido de titânio, um fotocatalisador em que os raios ultravioleta ativam os elétrons do composto, os absorvem e dispersam a luz e o calor. Além de contar com um composto usado em muitos filtros solares, tintas brancas e produtos farmacêuticos.

Comercializado como um “rejuvenescedor de estradas”, a empresa afirma que a substância também pode “revitalizar asfalto envelhecido” tornando-o mais resistente, uma propriedade que também pode ser boa, já que algumas estradas estão rachando e deformando com o calor extremo.

O spray também se destina a dissolver a poluição do escapamento do carro, incluindo óxido de nitrogênio e compostos orgânicos voláteis. Por meio de um processo químico chamado fotocatálise, o dióxido de titânio cria elétrons energizados que quebram as toxinas do ar. Em um vídeo promocional, a empresa afirma que 1,6 km de pavimento pulverizado pode ter os mesmos benefícios de qualidade do ar que o plantio de 20 acres de árvores.

A empresa fez sua própria pesquisa para confirmar todas essas propriedades. Municípios como Orlando, Charlotte, Raleigh, Greenville e Charleston, nos Estados Unidos, estão colocando o spray à prova. Enquanto isso, a Pavement Technology está analisando amostras de asfalto de áreas tratadas, juntamente com a coleta de dados meteorológicos e de qualidade do ar e, em seguida, enviando-os para pesquisadores da Texas A&M University para coletar dados sobre o funcionamento.

No ano passado, o Aeroporto Internacional de Orlando, na Flórida, usou o tratamento e os pesquisadores descobriram que ele cortou a poluição por óxido de nitrogênio pela metade.

Autoridades do condado de Charleston, Carolina do Sul, esperam ver resultados semelhantes. O departamento de obras públicas da cidade está usando o produto nas estradas de dois bairros, Union Heights e Rosemont, ambos com asfalto e localizados próximos às principais rodovias. Os bairros também são epicentros para o efeito de ilha de calor que ocorre em áreas densamente povoadas. Prédios e pavimentos podem absorver os raios solares e irradiar calor, deixando essas áreas até 4,4 graus mais quentes do que áreas com mais árvores e vegetação nas proximidades.

Ter uma solução como essa para ajudar a resfriar as coisas pode ter grandes benefícios para a saúde pública e economizar dinheiro para as pessoas nos custos de resfriamento.

Assine a newsletter do Gizmodo

Tudo isso parece muito empolgante, mas tecnologias como essa não devem substituir uma política abrangente de justiça climática. Para manter as cidades protegidas do aumento das temperaturas, ainda temos que fazer o trabalho árduo de acabar com a indústria de combustíveis fósseis e reduzir a poluição de carbono o mais rápido possível.

Mesmo que essa tecnologia funcione para resfriar ilhas de calor, não é a única solução em que podemos confiar. Afinal, plantar árvores e adicionar espaços verdes nos bairros não apenas reduz as temperaturas, mas também pode trazer benefícios para a saúde mental e tornar os espaços ao ar livre mais acolhedores para as pessoas se reunirem. Além disso, mais espaço natural nas cidades também pode ajudar a absorver as chuvas, em vez de permitir que escoem e causem inundações.