Os smartphones da linha Nexus, aqueles Androids criados especialmente com a ajuda do Google e que com certeza recebem atualizações, só ficaram na promessa no Brasil. O Nexus One podia ter vindo, e não veio. A Samsung podia ter trazido o Nexus S, mas não trouxe – primeiro devido a uma suposta restrição da Anatel, e depois explicitamente por motivos comerciais, para não concorrer com o Galaxy S II. Agora, devido a uma decisão judicial, até mesmo o futuro Nexus Prime pode também não vir ao Brasil.

A Nexus Telecomunicações, operadora de telefonia fixa (código 61) que também trabalha com VoIP através do Talky, conseguiu decisão judicial que impede tanto o Google como a Samsung de venderem o Nexus S no Brasil. A empresa diz ter direito sobre a marca Nexus na área de telecomunicações, tanto para serviço como para produto – o que, portanto, envolve o smartphone do Google.

A decisão judicial saiu em maio, no mês em que a Samsung anunciou que o Nexus S não viria ao Brasil. A empresa diz, no entanto, que “a decisão de não trazer o produto não foi tomada por esse motivo”, e “a liminar ainda não existia na época”. E o Google lembra que são as fabricantes que definem as estratégias de lançamento dos smartphones Nexus – não o Google.

Então, se a Samsung não quer vender o Nexus S, por que ela – e o Google – estão tentando suspender a liminar judicial? O Google explica: “por Nexus ser uma marca que pertence ao Google globalmente, faz sentido dentro da sua estratégia preservá-la em todos os países”. Como lembra o Estadão, a liminar pode ser um problema também para o Samsung Nexus Prime, primeiro smartphone com Ice Cream Sandwich – próxima versão do Android para celulares e tablets – que será lançado em outubro.

Problemas com marca registrada não são novos no Brasil. O iPad inicialmente sofreu restrições à venda por aqui, porque a marca pertencia a uma empresa de desfibriladores – mas a Apple venceu. Será que o Google vencerá também? [Link/Estadão]