A “PSM3” testou por algumas semanas versões 75% completas de Pro Evolution Soccer 2010 e Fifa 10 e publicou suas impressões na última edição da revista, que saiu nesta semana. A matéria lista algumas “mudanças-chave” dos jogos e faz uma comparação entre eles.

Uma das maiores novidades de ambos os títulos, já divulgada em diversos previews pela Web (os do PESGaming valem a leitura), é a movimentação dos jogadores em 360°. Eu jogo melhor usando o d-pad do que o stick analógico, mas há muito decidi que passaria a usar o segundo quando ele apresentasse alguma vantagem indiscutível sobre o primeiro. Pelo jeito, essa hora está chegando – e eu xingarei como nunca o controle do PS3 e seus horríveis direcionais analógicos. (Na real, sempre detestei o controle do PlayStation – desde o primeiro console –, e seus sticks só pioram um acessório que sempre julguei desconfortável.)

Outro recurso que há tempos espero que seja incluído nesses jogos é o uso do direcional analógico para controlar a velocidade do jogador em campo – ele se movimentaria mais rápido ou devagar conforme o grau de deslocamento do stick. Infelizmente, não há nenhuma menção sobre isso nos previews que li.

Entre outras novidades, a Konami promete melhoras nas animações dos jogadores e no modo online, além da inclusão de “sliders” de 0 a 100 para configurar o time. Essas mudanças parecem indicar que o sucesso de Fifa 09 realmente a incomodou.

Na atual geração de consoles, o visual de Fifa sempre foi superior ao de PES. O modo online, então, nem se fala – enquanto a Electronic Arts coloca 20 jogadores online em um mesmo campo, a Konami mal consegue pôr dois; minhas disputas via modem no século passado funcionavam melhor do que PES online. É bom saber que a Konami tem se concentrado em melhorar esses pontos, mas acho que Fifa 10 ainda levará vantagem neles.

Quanto à configuração tática das equipes, Fifa nunca chegou perto de PES (tanto na oferta de opções quanto no efeito das estratégias dentro da partida), e os “sliders” agora copiados pela Konami devem servir para manter ou aumentar essa vantagem e deixar certas alterações mais acessíveis.

Além de melhorar nas áreas em que já é melhor, Fifa promete inovações táticas (como jogadas ensaiadas) e mais realismo no Manager Mode – que, licenças oficiais à parte, sempre foi muito superficial em relação à Master League de PES –, com mudanças nos sistemas de transferência e desenvolvimento de jogadores, por exemplo.

Para comparar as “early builds” de PES 2010 e Fifa 10, a “PSM3” analisou os games em 18 áreas, como “edição / personalização”, “chute”, “passe” e “táticas / formações”. O melhor game em cada categoria ganhava um ponto; empate dava um ponto para ambos os títulos. No final, deu 14 a 13 para o jogo da Konami.

A metodologia utilizada, porém, é um tanto discutível. Tudo bem dividir os jogos em diferentes áreas, isso facilita a comparação – o problema é essa ideia de distribuir pontos e no final simplesmente somar tudo para definir o “vencedor”. No esquema da “PSM3”, todas as categorias têm o mesmo peso – um ponto em “apresentação / navegação de menus” vale tanto quanto um em “inteligência artificial / dificuldade”. A matéria ficaria melhor se tivesse apenas os textos, sem essa palhaçada de somar os pontos e escolher um dos games como o vencedor, até porque o peso de cada quesito é muito subjetivo – muita gente dá mais valor a gráficos e licenças oficiais do que eu, por exemplo.

Apesar disso e de outras forçadas de barra, vale a pena ler as impressões da “PSM3”, que demonstra certo ceticismo quanto ao impacto dos movimentos em 360° em ambos os games.

Há anos eu e outros fãs lamentamos a falta de inovações significativas na série Pro Evolution Soccer / Winning Eleven. Até pouco tempo, a Konami tinha uma desculpa: os games teriam atingido o limite do hardware do PS2, então console carro-chefe da série, e por isso era difícil incluir muitas novidades. Mas a impressão que eu tinha era de uma Konami acomodada – até porque PES vendia bem mais do que Fifa tanto na Europa quanto no Japão.

Agora a história é outra. Há poder de sobra no hardware da atual geração de consoles, e no ano passado a EA finalmente lançou um concorrente à altura. Fifa 09 surpreendeu tanto que bateu PES 2009 em número de vendas na Europa – salvo engano, foi a primeira vez que o título da EA venceu o da Konami no Velho Mundo (no Japão isso é praticamente impossível).

Parece que a Konami precisava sofrer um golpe desses para voltar a trabalhar decentemente em PES. Viva a concorrência. Viva evolução de Fifa.

Pro Evolution Soccer 2010 vs. Fifa 10 será provavelmente a disputa mais concorrida da história dessa rivalidade, o que é ótimo. Mas ambos ainda têm muito a melhorar. [via PES next-gen Editing]