Depois de lançar o smartphone Redmi 2 (e sua versão mais potente, o Redmi 2 Pro) e o carregador portátil Mi Power Bank, outro produto da chinesa Xiaomi deverá chegar em breve ao Brasil: é a pulseira fitness Mi Band, que custa R$95 (bem menos que as concorrentes) e monitora atividades físicas, como corrida e caminhada, e qualidade do sono.

A pulseira deverá ser lançada muito em breve e será vendida pelo site oficial da empresa no Brasil. A Xiaomi está fazendo uma campanha de lançamento no Twitter com a hashtag #CadaTweetConta. No site, há um botão para você postar em sua conta um Tweet pedindo para “liberar” as vendas do produto — e claro, aumentar a repercussão da marca. No entanto, a página da campanha não mostra o número de Tweets com a hastag até o momento (apenas um “indicador de carga”) nem quantos serão necessários para que as vendas comecem.

A Mi Band custa apenas R$ 95. É bem menos que outras concorrentes da categoria, como a Smartband da Sony (que vem de graça com smartphones de topo de linha, mas custa mais de R$ 300) e a Garmin Vivofit (também acima de R$ 300). Outros nomes importantes da categoria, como Fitbit e Jawbone, são ainda mais inacessíveis: a primeira não está oficialmente presente no Brasil, enquanto a segunda custa mais de R$ 700.

A pulseira da Xiaomi monitora atividades físicas como corrida e caminhada, mede a qualidade e o tempo de sono automaticamente (outros produtos precisam que você ative o modo noturno), informações exibidas no smartphone através do app Mi Fit. O dispositivo é compatível com qualquer iPhone com iOS 7 ou superior ou Android com sistema 4.4 ou superior. A empresa promete que a bateria da Mi Band dura 30 dias sem recarregar. A pulseira também tem proteção IP67 contra água e poeira. [Exame]