Junto com o anúncio do Galaxy S10 no mercado brasileiro, a Samsung também falou nesta terça-feira (12) sobre seus dispositivos vestíveis, que foram apresentados em 20 de fevereiro em San Francisco. Como os smartphones e seus distintos modelos, também estarão disponíveis por aqui em abril: a pulseira Galaxy Fit e (acredite: este “e” não está sobrando aí, ele faz parte do nome mesmo), o smartwatch Galaxy Watch Active e os fones de ouvido sem fio Galaxy Buds.

O que me chamou a atenção no anúncio é o preço da pulseira Galaxy Fit e, que tem valor sugerido de R$ 299 — algumas pulseiras da Samsung para medir atividades físicas no passado chegavam fácil aos R$ 600. Seguindo os preços das novidades em ordem crescente, os Galaxy Buds têm preço sugerido de R$ 999, enquanto o relógio Galaxy Watch Active será vendido por R$ 1.499.

Galaxy Fit e e Galaxy Watch Active

Pelo seu preço, talvez a pulseira Galaxy Fit e ajude a reduzir o estigma de que produtos para medir atividade física são caros. Não é o mesmo preço da Mi Band, que a Xiaomi lançou há alguns anos por R$ 100 aqui, mas pode ser um começo. Além disso, não temos tantos concorrentes disponíveis. Nos EUA, por exemplo, as pulseiras Fitbit têm grande presença e não custam tão caro quanto um smartwatch.

Conta também a favor da Samsung o fato de que os consumidores poderão ter acesso a elas em lojas próprias ou em varejistas físicos, diferente de compradores que conhecem tecnologia e compram quase às cegas Mi Bands em importadores.

Galaxy Fit e Galaxy Fit e. Crédito: DivulgaçãoGalaxy Fit e Galaxy Fit e. Crédito: Divulgação

O nome “e” nele indica, como na família Galaxy S10, que é o modelo mais simples. Ele tem uma tela de 0,74 polegada, bateria de 70 mAh e resistência à água (de até 5 ATM) — em algum momento deste ano deve chegar o Galaxy Fit sem o “e”, que tem com tela um pouco maior.

Na prática, ele ajuda a rastrear atividades físicas (como corrida, bicicleta ou mesmo natação) e a medir os batimentos cardíacos. É possível também monitorar o sono ao sincronizá-lo com o smartphone usando o Samsung Health.

Fora essas funções de saúde, o acessório também exibe o horário e notificações do smartphone e possibilita configurar alarmes. É compatível tanto com aparelhos Android como iOS.

Relógio Samsung Galaxy Watch Active

Já o relógio conta com muito mais recursos. O Galaxy Active tem uma tela de 1,1 polegada e bateria de 230 mAh. A memória RAM é de 768 MB, enquanto o armazenamento é de 4 GB. Como nos modelos anteriores da marca, ele conta com acelerômetro, GPS, giroscópio, barômetro, medidor de frequência cardíaca e sensor de luz ambiente.

Uma das novidades do relógio é o que a Samsung chama de gerenciador de estresse. Ao notar que o usuário está ficando alterado, o relógio emite um aviso sugerindo que ele faça exercícios de respiração para se acalmar.

Até pelo preço, ele é mais voltado para quem quer ter controle e medir sessões de exercício. Apesar de fazer isso automaticamente, é possível também monitorar manualmente mais de 40 atividades físicas.

Galaxy Buds

Você não vê muita gente com fones Bluetooth discretos por aqui, a menos que você viva em alguma grande cidade dos EUA ou trabalhe em algum distrito financeiro. O fato é que a Samsung, que lançou esta categoria antes que concorrentes, quer ser reconhecida pelos Galaxy Buds, concorrente dos AirPods, da Apple.

Fones Galaxy BudsCrédito: Divulgação

Os Galaxy Buds chegam aqui por R$ 999 — na loja da Apple, os AirPods são encontrados por R$ 1.500, mas em varejistas você encontra por R$ 1.000.

Valores à parte, a Samsung promete autonomia de até 6 horas de reprodução via Bluetooth, que é uma hora a mais do que a Apple promete. Os fones são à prova de respingos de água e suor.

Eles vêm em um case que pode ser carregado sem fio. Então, se você tiver um dos novos Galaxy S10, basta posicionar o compartimento na parte de trás que o telefone começa a carregar. Também é possível carregar com fio por meio de uma porta USB-C.