A moribunda Palm está à venda, segundo a Bloomberg. Quem está na lista de possíveis compradores? A HTC. Faz sentido, porque comprar a Palm pode ajudar a HTC a responder ao processo judicial da Apple, que a acusa de violar 20 patentes. A Lenovo também parece estar interessada, assim como a Huawei, que fabrica modens 3G e smartphones baratos com Android. Quem será que vai levar a Palm?

A Bloomberg diz que pelo menos quatro empresas estariam interessadas na Palm: a HTC, a Lenovo, a Huawei e a ZTE. A candidata mais interessante é, com certeza, a HTC — além de ser uma empresa mais conhecida por seus smartphones do que as outras três, eles podem usar o portfólio de patentes da Palm no processo judicial com a Apple.

A lógica é a seguinte: fora a Apple e o Google, a Palm é a única empresa no mercado americano com um sistema operacional moderno para smartphones (o WebOS) – que infelizmente nunca deus as caras por aqui. A Palm tem um longo histórico no mundo dos PDAs e smartphones. O Palm Pilot foi um grande sucesso nos anos 90, e os smartphones Treo foram provavelmente os primeiros híbridos decentes de PDA e celular. Por causa desse longo histórico, a Palm é dona de patentes que podem ser uma arma na disputa legal com a Apple, que acusa a HTC de violar patentes do iPhone.

Com a Palm, fica mais fácil um acordo extrajudicial, em vez de uma longa batalha na justiça. Por quê? A Apple e a Palm já ameaçaram processar umas às outras no passado — existia o risco, no passado, de que a Apple processasse a Palm porque ela implementou o multitoque no Palm Pre, função patenteada no iPhone. No entanto, neste meio tempo as duas não abriram processo uma contra a outra, provavelmente porque a Palm tem patentes o suficiente para processar a Apple e deixar toda uma batalha legal sem razão de ser. Se a HTC comprar a Palm, eles poderiam herdar estas vantagens também.

Huawei e ZTE

De acordo com a Reuters, em fevereiro a Palm usou bancos de investimento para intermediar "discussões preliminares" sobre a Huawei comprar a Palm. O valor da aquisição seria em valor próximo a US$1 bilhão, mas a Huawei não confirmou se as negociações ocorreram — ou se ainda estão acontecendo. A empresa disse que não comenta sobre "especulações".

Como a Huawei é conhecida por fabricar gadgets a preços baixos, isso poderia ajudar a reduzir as perdas da Palm, que ficaram em 22 milhões no trimestre passado.

Outra empresa interessada é a ZTE, que, assim como a Huawei, é chinesa e fabrica modens 3G e celulares. E faz sentido para as duas empresas levar a Palm: elas não têm um sistema operacional nem marca estabelecida no mundo dos celulares, e podem usar a Palm para ganhar reputação no mercado — já que hoje, produto chinês não é sinônimo de qualidade para os consumidores, nem nos EUA nem no Brasil.

O futuro da Palm

Apesar de a Palm ter um catálogo enorme de propriedade intelectual e um ótimo sistema operacional para smartphones, os produtos recentes da empresa — o Pre e o Pixi — foram um fracasso de vendas. Mas será que o Palm Pre e o WebOS sobreviveriam à venda da Palm? Ou melhor: será que alguém conseguirá transformar o WebOS em um concorrente de verdade na guerra atual dos smartphones? Com a Apple e o Google lutando de frente, e a Microsoft chegando em breve com o Windows Phone 7, é possível que o WebOS não sobreviva. [Bloomberg e Reuters via Gizmodo US]