O iPhone completou 15 anos nesta semana e é, sem sombra de dúvidas, o dispositivo que deu o pontapé inicial da era dos smartphones. Anos se passaram e o iPhone continua entre os melhores modelos disponíveis no mercado, mas os usuários passaram a reclamar de um aspecto específico do dispositivo que vem deixando a desejar há alguns anos: a bateria.

A autonomia é um quesito que os haters da marca adoram apontar, que desaponta os fãs e que gera uma série de piadas e memes na internet. Um dos casos que geraram mais críticas foi a diminuição de bateria do iPhone 12 em relação ao iPhone 11, muito elogiado por ser o aparelho padrão da Apple que tem a maior bateria desde seu lançamento. O fato de a bateria do 12 vir com menor capacidade de energia gerou muita discussão em torno da política da empresa na atualização de componentes dos novos dispositivos.

As baterias de dispositivos móveis são medidos por milliapere-hora (mAh), unidade que serve para medir a capacidade de carga total de uma bateria. Então, para simplificar, quanto mais miliamperes-hora, maior é a durabilidade da bateria e quanto menos, menos tempo o celular tem de bateria.

Se por um lado, conforme o avanço da tecnologia de construção dos chips e processadores o consumo de energia vai ficando mais eficiente e, consequentemente, menor, os iPhones sempre abaixo de outros dispositivos tops de linha de Samsung, Motorola ou Xiaomi, que ultrapassam facilmente os 4.000mAh.

Para fins de comparação, o iPhone 11, dispositivo padrão com maior bateria, tem 3.110 mAh de bateria. Alguns dispositivos intermediários como o Pocophone, da Xiaomi, chega a 6.000mAh, o que acaba sendo motivo de críticas à Apple.

Caso um usuário queira comprar um iPhone e não ter problemas com bateria, deve ir atrás dos dispositivos mais “premium” da marca, os “Pro MAX”. Os dispositivos MAX trazem baterias com maior durabilidade em comparação com os “padrões” e possuem as maiores autonomias de bateria da empresa. O 11 Pro Max tem a maior capacidade da história destes smartphones, com com 3.969 mAh, seguido do 12 Pro MAX, com 3.687mAh e do iPhone 13 Pro MAX, com 4.352mAh.

No caso dos dispositivos mais novos, a Apple alega que os novos chips consomem menos energia e que, por esse motivo, devem ter a mesma autonomia de energia dos anteriores. Nada de novo no front.