Como parte de um projeto numa disciplina de fotografia, dois estudantes da Universidade Kingston, no Reino Unido, engoliram um filme de 35mm e deixaram seus órgãos internos fazerem o trabalho pesado por eles. Depois de “coletar” os slides em uma sala escura, eles corrigiram a prata e escanearam o filme com um microscópio eletrônico. O resultado é adorável.



Na real, se você tem um microscópio eletrônico o desafio é produzir uma imagem que não seja bonita. Mas o processo inteiro de criação dessas imagens e a forma pouco ortodoxa com que o corpo foi usado acrescentam um pouco de diversão inesperada ao produto final. [Luke Evans and Josh Lake via Creative Review]