A venda de smartphones caiu nos últimos meses e, pelo jeito, a crise econômica do país agora também afeta a comercialização de celulares, de acordo com dados da consultoria IDC.

Entre abril e maio, meses que costumam ser bons em vendas de smartphones devido à proximidade com o dia das mães e dia dos namorados, o que aconteceu no país foi o oposto do que vinha acontecendo nos últimos anos: a venda de celulares inteligentes teve uma ligeira queda em abril e uma um pouco mais significativa em maio, em comparação com os mesmos meses de 2014. Em abril de 2015, foram 4,86 milhões de smartphones vendidos no país – 1% a menos do que em 2014. Já em maio, a queda foi de 16%, e a venda desses aparelhos ficou em 3,89 milhões de unidades.

“Prevíamos um crescimento de pelo menos 5%, mas agora trabalhamos com volume negativo. Isso é reflexo do momento econômico do Brasil. Em 2014, quando o mercado de smartphones estava forte, houve um aumento de 56% frente ao segundo trimestre de 2013″, disse Leandro Munin, analista de pesquisas da IDC.

As causas da desaceleração nas vendas são muitas, mas em resumo é tudo consequência do momento turbulento que vive a economia do país. Segundo a IDC, a alta do dólar fez os preços dos aparelhos subirem – de R$ 30 a R$ 60 em aparelhos intermediários e entre R$ 100 e R$ 200 em aparelhos top de linha. A confiança do brasileiro em relação à economia também caiu, assim como o poder de consumo, o que colabora muito na hora de escolher entre trocar o smartphone agora ou esperar mais uns meses para saber se a situação melhorará.

Com esse resultado negativo para dois meses bastante agitados no mercado, a IDC também cortou sua expectativa de mercado para 2015 – em vez de 63,5 milhões, a consultoria agora estime que 54 milhões de unidades serão vendidas no Brasil neste ano.