Autoridades da OMS (Organização Mundial da Saúde) alertaram na última sexta-feira (30) que os incêndios florestais na Amazônia representam uma ameaça específica ao bem-estar das crianças na área. Respirar toda essa fumaça, cheia de material particulado, pode representar um perigo respiratório, especialmente para indivíduos sensíveis como crianças.

“Temos alguns relatos anedóticos de aumento de certas doenças respiratórias em crianças, mas nada que possamos relatar de um monitoramento sistemático”, disse Maria Neira, diretora de determinantes de saúde pública, ambiental e social da OMS, em uma entrevista à Reuters em que falou sobre os riscos das queimadas.

Os incêndios nesta época do ano não são naturais. Eles muito provavelmente foram provocados por fazendeiros que cortaram árvores e incendiaram o mato para abrir espaço para pastagem. Eventualmente, essa terra é vendida para agricultores de soja. Esses incêndios acontecem todos os anos, mas neste ano o número atingiu níveis nunca vistos por uma década.

Muitas comunidades próximas aos incêndios foram evacuadas, enquanto o exército tenta apagar algumas das chamas. No entanto, ainda existe um risco par aqueles que permaneceram, inclusive indígenas que vivem na floresta tropical.

De acordo com a Survival International, moradores relataram madeireiros armados entrando nas terras de tribos isoladas. Essas comunidades estão enfrentando tanto a ameaça de violência dos madeireiros quanto dos fazendeiros, e agora também enfrentam a ameaça de poluição do ar. A OMS não confirmou nenhuma morte, mas a BBC relata que um casal em uma vila rural no estado de Rondônia morreu devido aos incêndios.

A pior parte desses incêndios é que a temporada está apenas começando. A estação seca, quando as pessoas costumam usar fogueiras para limpar a terra, geralmente se estende até fevereiro.