Categorias: JogosSaúde

Máscara gamer da Razer tem luzes RGB e promete filtrar 95% das impurezas do ar

As máscaras faciais se tornaram acessórios cruciais para o nosso ir e vir diário na pandemia de COVID-19, tanto para a nossa segurança quanto das outras pessoas. As vacinas já chegaram (no Brasil, sabe-se lá quando), mas a verdade é que esse item vai permanecer por um bom tempo em nossa rotina. E a Razer, conhecida pelos periféricos gamers, anunciou sua entrada nesse mercado com o Project Hazel, conceito de uma máscara inteligente com algumas firulas.

Começando, claro, pela característica mais marcante desse tipo de produto: luzes RGB. Elas brilham do mesmo jeito que um dispositivo com esse elemento, mas o diferencial é que o LED muda de cor baseado no estado atual do filtro dentro do objeto. Você tem a opção de desligar as luzes, se preferir.

Os LEDs RGB ficam em volta dos ventiladores redondos nas laterais, usados para a circulação ativa de ar. Os ventiladores também são removíveis e recarregáveis, embora não tenha sido revelado por quanto tempo será garantida a eficácia total. Além disso, há um estojo para guardar a máscara e recarregar as ventoinhas, sendo que na parte interna a Razer colocou um mecanismo com luzes ultravioletas para desinfectar e matar qualquer bactéria.

A máscara usa um respirador do tipo N95, o mesmo presente na máscara de mesmo nome utilizada como parte dos equipamentos de proteção individual (EPIs). Segundo a Razer, esse sistema consegue filtrar 95% de partículas do ar. O acessório anda tem revestimento em plástico reciclado e transparente, que é resistente à água e arranhões, e um microfone e um amplificador na parte interna ajuda a propagar melhor o som da voz do usuário.

A Razer afirma que o Project Hazel ainda se trata de um produto em desenvolvimento. Portanto, não há previsão de lançamento. A fabricante diz que, até isso acontecer, continuará aprimorando a máscara com a ajuda de pessoas que já estão testando o acessório.

[Tech Radar]

Caio Carvalho

Compartilhar
Publicado por
Caio Carvalho