Talvez o uso mais interessante para a realidade virtual seja no auxílio no tratamento de fobias e doenças em geral. Um bom exemplo disso é uma experiência chamada Joy que está sendo testada para tentar diminuir a solidão de pacientes que passam tempo demais em um hospital.

8 usos da realidade virtual que vão além dos videogames
[Review] Google Daydream View: um headset confortável e limitado para realidade virtual

Criado pela empresa australiana Liminal em parceria com a seguradora de saúde Medibank, Joy coloca o paciente em um mundo virtual cercado de personagens animados que podem ler histórias de livros para a pessoa.

Todos esses personagens se encontram em frente a uma fogueira. Segundo Sami Yamin, da Liminal, o cenário foi escolhido por ser um lugar de reunião de pessoas. Assim, em vez de se ver em um quarto de hospital, o paciente passa a se enxergar rodeado por outras pessoas.

What if Virtual Reality could help us feel less lonely?

Publicado por Medibank em Sábado, 3 de dezembro de 2016

 

A experiência usa o Google Daydream View junto com um controle. A equipe decidiu usar um dispositivo móvel de realidade virtual em vez de um HTC Vive ou um Oculus Rift por causa das limitações que uma sala de hospital representa, além das condições desses pacientes – nem sempre eles podem fazer muitos movimentos, e muitas vezes passam o tempo quase inteiro deitado ou sentado na cama, portanto, um dispositivo mais modesto como o Daydream View é mais adequado do que um headset mais potente.

Pessoas que passam tempo demais em camas de hospital costumam sofrer de solidão, e há indícios de que a solidão atrapalha na recuperação do paciente. Às vezes, ter mesmo um personagem de desenho animado em sua frente em um mundo virtual pode ajudar, já que a outra opção é lembrar que a pessoa sequer consegue sair da cama para fazer parte do mundo.

[Mashable, ZDnet]