No entanto, como toda coisa definida pela palavra "conceito", esta bateria *tecnicamente* não existe ainda. 

Ainda assim, Teaho e Lee trabalham com a hipótese de que ela, se vier a existir de verdade, necessitaria de mais ou menos 130 giradinhas para dois minutos de conversa em um telefone. 

Parece plausível. E cansativo. Mas divertido. [design(dot)fr via Engadget]