Uma equipe de pesquisadores do Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia (NIST) quebrou o recorde de distância de teletransporte por fibra ótica, mostrando que é possível transferir informação quântica por quase 100 km. Isto será bem útil na criação de uma internet incrivelmente rápida.

>>> Novo método de teletransporte nos deixa mais próximos da internet quântica

O teletransporte quântico não é bem a mesma técnica usada em Star Trek: em vez disso, é um processo de transferência — que cientistas também chamam de “reconstrução remota” — no qual o estado quântico de uma informação é mantido enquanto ela é enviada para outro lugar.

Os pesquisadores mostraram duas coisas: é possível realizar comunicação quântica em cabos comuns de fibra ótica (isso geralmente é feito pelo ar); e é possível levar dados na fibra ótica até três vezes mais longe que o recorde anterior.

Os cientistas do NIST conseguiram transferir o estado quântico de um fóton por 102 km, em cabos de fibra ótica pelo laboratório, até outro fóton. O experimento foi detalhado na revista científica Optica, e o infográfico abaixo explicam como a equipe alcançou este resultado.

Parece um caminho lógico enviar informação quântica por cabos de fibra ótica — afinal, é assim que a grande maioria das informações do mundo são enviadas. Mas isso foi apenas possível a tamanhas distâncias graças ao novo tipo de detector de fótons desenvolvido pela NIST. “Apenas 1% dos fótons chega até o final de 100 km da fibra”, explica Marty Stevens, pesquisador da NIST, em comunicado. “Nós nunca poderíamos ter feito este experimento sem estes novos detectores, que podem medir este sinal tão fraco”.

Além da internet quântica, este avanço poderia abrir um caminho promissor para o desenvolvimento da criptografia quântica. Trata-se de um sistema teoricamente inquebrável, no qual estados quânticos são usados para esconder dados.

Mas ainda temos trabalho pela frente para que esta técnica possa ser usada para tais fins, já que os pesquisadores conseguem efetuar este teletransporte, na melhor das hipóteses, em cerca de 25% das transmissões. E, apesar de 100 km ser uma longa distância, ainda é um trecho pequeno quando comparado aos cabos de fibra ótica que transmitem dados pela internet. Ainda assim, é bom ter objetivos, não? [Optica via NIST]

1443050193131959591
Foto por x_tine/Flickr