É cada vez mais comum trocarmos com frequência de smartphones – novos modelos são lançados a cada ano deixando nossos aparelhos desatualizados e sem graça. Mas comprar um smartphone por ano não é nada barato, especialmente considerando o preço cada vez mais alto cobrado pelos high-end no Brasil. Então o que fazer?

>>> Cooperativa em São Paulo está pronta para receber seu lixo eletrônico



Se você é daqueles que não consegue admitir o fato de ter um dispositivo defasado em mãos, uma das suas opções é tenta vender o aparelho usado para usar o dinheiro na aquisição do novo. E o serviço de reciclagem solidária Redial está aqui para isso.

Pelo Redial, você pode se desfazer de um celulares antigos e ainda ganhar uma graninha. Pelo site, faça uma avaliação da condição do dispositivo – se ele está como novo, se funciona muito bem apesar de arranhões e rachaduras no corpo, ou se ele simplesmente não funciona mais. Quanto melhor ele estiver, mais grana você recebe pelo aparelho.

Com isso feito, você recebe um e-ticket dos Correios e envia o telefone para o pessoal da Redial, que avaliará as condições do aparelho – ou seja, se ele está na situação indicada pela pessoa que vendeu. Se não estiver, uma nova proposta será feita pela empresa com um valor adequado ao dispositivo. O objetivo deles é fazer com que os aparelhos funcionais voltem à vida útil – no caso dos que não funcionam, as peças vão para reciclagem. De acordo com o site da empresa, 166 milhões de celulares estão nas gavetas das casas brasileiras sem serem usados, e mais da metade deles ainda pode ser reutilizada.

Mas se você não estiver procurando dinheiro, e sim um lugar para descartar um celular antigo, a Redial também oferece a opção de doar o valor do seu dispositivo para ONGs parcerias – a Casa da Criança Santo Amaro, o Instituto Fazendo História e o Instituto 5 Elementos. Se você se interessou pelo projeto, ou conhece alguém que pode muito bem aproveitar o serviço prestado pela Redial, leia mais informações no site oficial deles.

Foto via Flickr sob licença Creative Commons